Rússia é uma das favoritas no mundial de profissões, após ser treinada pelo SENAI

País-sede da WorldSkills, que vai até terça em Kazan, quer repetir feito do Brasil, campeão em casa em 2015; é a segunda vez que os russos são treinados por brasileiros
Os russos tiveram alto investimento estatal e contam com a excelência brasileira na busca pelo 1º lugar em casa

Um dos objetivos da anfitriã da 45ª WorldSkills, a Rússia, é repetir o feito do Brasil em 2015 e ser campeã em casa na olimpíada mundial de profissões técnicas. A fim de chegar ao lugar mais alto do pódio, o país contratou o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para treinar parte de seus competidores e técnicos e fazer bonito em Kazan, cidade-sede da competição a 821 km de Moscou. Com forte investimento estatal e a excelência brasileira, os russos estão entre os favoritos para vencer a disputa. Os medalhistas serão conhecidos na próxima terça-feira (27).

No penúltimo dia de provas, que começaram na sexta (23), Norair Khachaturian, treinador da área de Manutenção de Aeronaves, estava otimista com a perspectivas do competidor da Rússia Nikolay Pilyushenko no torneio. “Eu espero que a gente divida o pódio com o Brasil”, disse, bem humorado, neste domingo (25).

Segundo o especialista russo, a contratação do SENAI para realizar o treinamento deveu-se aos resultados do Brasil na área e à parceria político-econômica dos BRICS, bloco que reúne cinco países em desenvolvimento: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. “Os competidores brasileiros mostraram, nas últimas competições, ótimos resultados e, mais, temos um bloco econômico com o Brasil, os Brics, o que também foi uma razão. Foi uma forma de melhorar a comunicação entre os dois países nesse bloco”, explica.

Khachaturian conta ainda que o treinamento recebido do SENAI foi muito superior ao realizado em seu país. “Ficamos muito felizes de fazer esse treinamento conjunto e foi muito útil. Meu competidor disse que ele não teve tão bom treinamento na Rússia quanto no Brasil. O treinamento no Brasil foi mais útil para ele, francamente”, relata. Nikolay também ficou feliz de conhecer um ídolo, o brasileiro Rafael de Borba, que ficou em 4º lugar na última competição em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. “Nikolay ficou feliz de encontrar Rafael, que compartilhou sua experiência na competição”, complementa.

A equipe russa de Manutenção de Aeronaves, que esteve em Florianópolis, foi uma das seis treinadas pelo SENAI em diferentes centros pelo Brasil. Além dela, foram preparados os competidores da Rússia de Marcenaria, Movelaria, Manutenção Industrial, Modelagem de Protótipos e Tecnologia de Mídia Impressa. O Brasil já havia treinado competidores russos em 2017 para torneio de Abu Dhabi, com ótimos resultados. A Rússia ficou em 1º lugar no ranking de pontos e o Brasil, em segundo.

O treinador russo de Manutenção de Aeronaves Norair Khachaturian conta que o treinamento recebido do SENAI foi muito superior ao realizado em seu país

DANÇAS – O especialista Sergey Kukolev, de Modelagem de Protótipos, também ficou satisfeito com a passagem pelo Brasil, além de participar do treinamento. “Gostei muito das danças no Brasil, e dos restaurantes em Osasco”, conta ele, que esteve no SENAI da cidade paulista. Para ele, foi também ótima a troca de experiências com os brasileiros. “Na minha área, estamos aprendendo o tempo todo, aprendemos aqui na competição como foi no treinamento”, conta ele.

O coordenador da delegação brasileira na WorldSkills, José Luís Leitão, avalia que a nova contratação do SENAI pela Rússia é sinal de que o treinamento brasileiro traz resultados. “O interesse dos russos em nos contratar é porque temos algo para garantir a eles uma boa performance em uma competição mundial”, explica.

O especialista do SENAI garante não ter medo de os russos tirarem medalhas de brasileiros, o que é um risco real. “Eles foram treinados pelo Brasil, estão muito bem treinados. Por outro lado, é um processo que vem sendo construído há algum tempo. Eles estão buscando os melhores especialistas para melhorar sua performance. Nós ficamos felizes, independentemente de ter ou não as medalhas dos russos, porque somos profissionais”, conclui.

A WorldSkills é o maior torneio de educação profissional do planeta. A cada dois anos, jovens de até 22 anos disputam medalhas de ouro, prata e bronze em provas que reproduzem o dia a dia das profissões. Cada ocupação tem provas específicas, nas quais os competidores precisam demonstrar habilidades individuais e coletivas para realizar provas que reproduzem o dia a dia do mercado de trabalho em padrões internacionais de qualidade.

O coordenador da delegação brasileira na WorldSkills, José Luís Leitão, avalia que a nova contratação do SENAI pela Rússia é sinal de que o treinamento brasileiro traz resultados

COBERTURA COMPLETA - Acompanhe a cobertura completa da WorldSkills 2019 aqui na Agência CNI de Notícias, no perfil do SENAI no Facebook, Twitter e Instagram. Todas as fotos estarão disponíveis no Flickr da CNI.

Relacionadas

Leia mais

Países fazem reformas para valorizar a educação profissional
WorldSkills 2019: Mundial de educação profissional na Rússia aponta profissões em alta no mundo
Favoritos, brasileiros na WorldSkills transformam pressão por medalha em motivação

Comentários