Pasta de dente com compostos naturais. Conheça a proposta dos jovens de Catalão (GO) no Festival SESI de Robótica

O objetivo do produto criado pelos estudantes do SESI e do SENAI de Goiás é manter a higiene bucal em dia sem prejudicar o estômago dos astronautas
Nesta temporada, o SESI desafiou estudantes das escolas brasileiras com o tema “Em órbita"

Um produto que ajuda a higiene bucal dos astronautas em viagem ao espaço. Essa foi a proposta do grupo MeqLego, composto por alunos do SESI e do SENAI de Catalão (GO). Ao desenvolver pesquisas os alunos analisaram que os astronautas sofrem com dores no estômago por conta da pasta de dente utilizada fora da Terra. Com isso, em cima de estudos, os jovens elaboraram a Star Dente.

A solução inovadora passou por alterações e desafios antes de chegar ao ponto para competir no Torneio de Robótica organizado pelo Serviço Social da Indústria (SESI), em parceria com a fabricante de brinquedos LEGO, em março, no Rio de Janeiro.

Arley Gonçalves, instrutor de educação profissional da escola do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Catalão e responsável pela turma, explica que, atualmente, o produto final é feito por 99% de compostos naturais e apenas 1% de conservante, o que acaba causando uma melhor ingestão do produto.

“Ela não precisa de água, o astronauta ou até mesmo a pessoa que mora aqui, na Terra, pode escovar o dente sem água e depois engolir a pasta de dente se nenhum dano para a saúde, sem contar que com a parceria que os alunos fizeram com farmácia eles conseguiram com que a data de validade passasse de quatro meses para dois anos, o que acabou validando ainda mais o projeto para estar na final”, conta o professor.

Para chegar ao Festival, teve muita dedicação - em média 12 horas de treino por dia. Arley Gonçalves ressalta como o desempenho dos alunos apresentou melhoras. O interesse e procura nas áreas de engenharia e exatas aumentaram, sem contar o amadurecimento dos alunos. “São crianças que, quando vão se desenvolvendo com o torneio, amadurecem e melhoram a vida fora da escola. A gente trabalha também com os valores, e eles levam isso pra vida deles lá fora. A gente fala que os valores não têm que ser aplicados somente na escola, mas têm que ser levados pra família”, avalia.

A aluna Maria Júlia Alves do Nascimento, 16 anos, que faz parte da MeqLego, conta que o interesse pela robótica só aumentou depois de entrar para o grupo e está decidida a fazer a cursar Engenharia Mecatrônica no futuro. Segundo a aluna, a experiência com a robótica é única. “Não só eu, mas todo mundo”, conta. A equipe foi tão bem no Festival que ficou entre as equipes suplentes para classificação em torneios internacionais.

O TORNEIO - Nesta temporada, o SESI desafiou estudantes das escolas brasileiras com o tema “Em órbita". A ideia era que cada equipe inscrita no torneio de robótica pudesse desenvolver alternativas que ajudassem no bem-estar de astronautas e em pesquisas espaciais. Acesse o site do Festival SESI de Robótica e saiba mais.

SAIBA MAIS - Quer saber mais sobre robótica? Acesse o site do Festival de Robótica.

Relacionadas

Leia mais

O que que a Bahia tem? Representantes nas três competições do Festival SESI de Robótica!
Festival SESI de Robótica vai reunir 1.200 alunos de escolas públicas e particulares no Rio de Janeiro
Missões da NASA inspiram alunos de Recife no Festival SESI de Robótica

Comentários