Fazer a diferença é o lema de Cristiano, um dos representantes do Brasil em Robótica Móvel na WorldSkills 2019

Mesmo ciente de que o país não tem muita tradição na ocupação, o jovem gaúcho está confiante e vai dar o seu melhor no mundial de profissões técnicas
O jovem viu no curso técnico a oportunidade de ganhar seu próprio dinheiro

Quando se fala em Kazan, o jovem Cristiano de Castro Nunes, de Santa Cruz do Sul (RS), é puro otimismo. É na cidade russa, que vai sediar a WorldSkills 2019, o mundial de profissões, que o brasileiro quer fazer história na competição. Ele vai representar o Brasil em Robótica Móvel, formando dupla com Emerson Moraes.

“A robótica não tem tanta tradição, mas acreditamos que podemos fazer diferente. A gente vai dar o nosso melhor”, diz. Experiência internacional, Cristiano já tem. Ano passado ele disputou a WorldSkills América, no Chile. Também em 2018, o jovem fez um intercâmbio na Inglaterra.

A busca por um curso técnico foi motivada pela vontade de entrar no mercado de trabalho. “Queria ganhar meu próprio dinheiro, além de mais conhecimento e experiência”, comenta. Com a entrada no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), veio a primeira oportunidade profissional. Foi na Philip Morris, multinacional produtora de tabaco.

Nas horas vagas, acredite, Cristiano disse que gosta de estudar matemática. E claro, sempre sobra um tempinho pras redes sociais. A vontade de crescer na vida continua. Depois da WorldSkills, Cristiano quer cursar Engenharia de Controle e Automação já em 2020.

Relacionadas

Leia mais

Competidor da WorldSkills está de olho na Indústria 4.0 e nas novas tecnologias
Entre o futebol e a programação, jovem escolheu representar o Brasil na WorldSkills
Jovem dispensou primeiro emprego para competir na WorldSkills 2019

Comentários