Estudantes que criaram o chiclete de pimenta para astronautas vencem Aberto de Robótica nos Estados Unidos

O último torneio internacional desta temporada, realizado em West Virginia, teve dobradinha brasileira no pódio: em 1º lugar geral ficaram os alunos do SESI de Goiânia. Em segundo, a equipe do SESI do Distrito Federal
De Goiânia para o alto do pódio nos Estados Unidos

O Brasil encerra a temporada 2018/2019 de robótica com mais uma grande conquista. Os estudantes do Serviço Social da Indústria (SESI) de Goiânia, acabam de conquistar o 1º lugar geral do Aberto de Robótica de West Virginia, nos Estados Unidos. A equipe Gametech Canaã superou 70 equipes de 12 países. Os goianos ainda ficaram em 2º lugar na categoria Desafio do Robô.

O pódio da competição teve dobradinha brasileira. É que o segundo lugar geral ficou com os alunos do SESI do Distrito Federal, da equipe Lego of Olympus. Outra equipe premiada foi a Tecnorob Evolution, do SESI de Brusque (SC), que ficou em 2º lugar na categoria Design Mecânico do Robô. Os times ganharam  a vaga para a disputa nos Estados Unidos durante o Festival SESI de Robótica, no Rio de Janeiro, em março. 

"Estamos muito felizes com o resultado porque nós trabalhamos bastante e vimos que o fruto desse trabalho valeu a pena. Foi muito gratificante representar oo Brasil em uma competição tão exigente, com tantas equipes participando", diz o estudante João Paulo de Lima Gonçalves, 17 anos, da equipe Gametech. 

O técnico da equipe goiana, Flamarion Moreira, conta que os estudantes estavam focados na preparação para a disputa. "Passamos pela etapa regional, depois a nacional e agora viemos para os Estados Unidos. Nós queríamos este resultado, mas claro que dependia de muito esforço. Chegando aqui nós vimos que todo nosso esforço foi recompensado. O diferencial foi o nível de entusiasmo e de seriedade com que os nossos alunos enfrentaram as atividades, mesmo com equipes de alto nível", afirma.

CHICLETE PARA ASTRONAUTA - Nos Estados Unidos, os goianos apresentaram o chiclete para astronautas. Durante as pesquisas sobre o tema da temporada, Into Orbit (em órbita), eles perceberam que, por conta da gravidade, os astronautas ficam com as vias superiores congestionadas e não conseguem sentir o sabor dos alimentos.

Para aliviar o problema, são utilizados medicamentos para desobstruir as vias nasais. Porém, o hábito de usar continuamente esse tipo de remédio, além de viciar, pode causar problemas de saúde. A solução criada foi o chiclete, que é uma goma de mascar feita com componentes da pimenta.

Os brasilienses conquistaram o 2º lugar geral da competição

DO COLCHÃO PARA O PÓDIO - De olho no espaço, a equipe Lego of Olympus, do SESI/DF, buscou melhorar as condições de sono dos astronautas. Eles criaram o protótipo de um colchão que, com aquecimento e vibração, aumenta o grau de relaxamento e faz o astronauta pegar no sono com maior facilidade. 

O protótipo tem embasamento teórico, adquirido em pesquisas e no contato com especialistas de diversas áreas. Todo o processo de pesquisa, desde a identificação do problema até as soluções pensadas antes de se chegar ao produto, foi registrado em diversos documentos, também avaliados. A qualidade do material e a apresentação feita aos juízes levaram a Lego of Olympus a ser escolhida para repetir as explicações ao público, em inglês, na cerimônia de encerramento da competição, neste domingo (14).

Para o professor de Robótica do SESI/DF, Alberto Roquete, que também é técnico do time, o espírito de trabalho coletivo e a autonomia dos alunos foram fundamentais para a conquista. “A equipe teve maturidade e desenvolveu o trabalho de forma profissional e organizada desde julho de 2018, quando o projeto foi iniciado. Isso permitiu que eles absorvessem os retornos que tiveram dos juízes nas etapas regional e nacional, aperfeiçoando o projeto constantemente, e que estivessem qualificados para este resultado internacional", diz.

É a segunda vez que uma equipe do SESI/DF é vice-campeã de um torneio internacional de robótica da FIRST LEGO League (FLL). Em 2017, a Legofield foi a segunda colocada no Aberto Europeu de Robótica, em Bath, no Reino Unido.

Os catarinenses também desenvolveram um projeto de pesquisa que visa suprir a deficiência de vitamina D nos astronautas

DESIGN MECÂNICO - Já os estudantes do SESI SENAI de Brusque (SC) conquistaram o 2º lugar na categoria Design Mecânico. “É uma sensação muito boa saber que estamos entre os melhores do mundo. A troca de conhecimento é muito grande e todos só têm a ganhar. Com a robótica, a gente aprende programação, raciocínio lógico e conceitos de engenharia. Nessa temporada, ainda aprendemos mais sobre a vida no espaço”, conta Arthur Gabriel Silveira Sophiatti, integrante da equipe Tecnorob Evolution. 

Os catarinenses também desenvolveram um projeto de pesquisa que visa suprir a deficiência de vitamina D nos astronautas, um problema comum na vida espacial. Mesmo com a ingestão de duas doses diárias do nutriente, pesquisas espaciais mostram que astronautas voltam à Terra com cerca de 30% a menos do nível ideal. Isso ocorre, principalmente, pela falta da exposição aos raios ultravioletas do tipo B, transmitidos pelos raios solares. A deficiência da vitamina pode causar uma série de doenças como osteoporose, câncer, depressão e demência.

REFERÊNCIA MUNDIAL EM ROBÓTICA - Nesta temporada, os brasileiros já conquistaram prêmios no Mundial de Robótica, em Houston (EUA), no torneio de Arkansas (EUA), no Aberto Internacional da Turquia, no Aberto de Robótica do Uruguai, Aberto de Robótica do Líbano e no Aberto de Robótica da Austrália (Ásia Pacífico)

REDES SOCIAIS - Acompanhe tudo sobre a temporada 2019/2020 do Torneio de Robótica FIRST LEGO League, que começa em agosto, aqui na Agência CNI de Notícias e nos perfis do Torneio no Instagram e Facebook

Relacionadas

Leia mais

Estudantes brasileiros são premiados em torneio de robótica na Austrália
Estudantes brasileiros ganham prêmio mundial de inovação com projeto para mulheres
Brasileiros vencem torneio internacional de robótica do Uruguai

Comentários