Especialistas debatem cultura, negócios e soluções para sustentabilidade da Amazônia

Lives na próxima quarta-feira (14) nas redes sociais da CNI são parte do Fórum Mundial Amazônia +21, iniciativa que debate o desenvolvimento sustentável da região
Para os organizadores, a cultura é a base do desenvolvimento sustentável e a Amazônia tem características únicas que precisam ser levadas em conta

Na próxima quarta-feira (14), a partir das 9h30, ocorrerá o quarto e último encontro preparatório para a edição de 2020 do Fórum Mundial Amazônia+21, que tem apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os debates terão como tema a cultura e as demandas das cidades amazônicas e relatos sobre a geração e a gestão de negócios sustentáveis na região.

O primeiro painel começa às 9h30 e vai debater a vida na Amazônia pelo olhar de quem vive ali. Vão estar presentes o cacique Almir Narayamoga Suruí, referência global na defesa dos indígenas e da natureza, o escritor manauara Márcio Souza, autor de Mad Maria, o romance que inspirou a série de TV, e de várias outras obras sobre a região, e o geógrafo Gustavo Rangel, pesquisador da vida na Amazônia e professor do departamento de antropologia da Universidade Federal de Rondônia.

A segunda sessão tem início às 11h e vai apresentar a plataforma AmazôniAtiva, desenvolvida pelo Instituto IBVRio, associação sem fins lucrativos que incentiva e apoia negócios na Amazônia, a partir de produtos do bioma. Três cooperativas e redes que atuam na região vão compartilhar suas experiências: Rede da Floresta (RO), Saboaria Rondônia (RO), e Coopavam (MT). O painel será moderado por representante do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Para os organizadores do Fórum e convidados, a cultura é a base do desenvolvimento sustentável e a Amazônia tem características únicas que precisam ser levadas em conta quando na promoção do bem-estar das pessoas e sua convivência com o bioma amazônico. Por isso é tão importante que se saiba mais sobre a vida na região, sobre histórias e que se mapeiem as realidades e muitas possibilidades para o empreendedorismo na Amazônia, como atrair mais e melhores parcerias e investimentos.

"Vamos sair da opinião e juntar o setor produtivo, a pesquisa e a ciência, os saberes da população amazônica para encontramos os melhores caminhos para a região e para o Brasil" - Marcelo Thomé, coordenador do Fórum

À tarde, a partir das 14h, a conversa vai girar em torno do papel das cidades na promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia.  O debate será realizado em dois blocos. O primeiro sobre cidades e desenvolvimento sustentável e o segundo sobre compromissos para o desenvolvimento urbano sustentável. 

Assim como no Brasil, cerca de 80% da população da região vive nos 775 municípios dos nove estados da Amazônia Legal – os sete estados da região Norte, Maranhão e Mato Grosso. Portanto, as cidades também devem ser repensadas quando se discutem novas formas de desenvolvimento da região.

“Boa parte dos quase 800 municípios que integram a Amazônia Legal enfrentam carências diversas como o acesso à água potável e encanada, saneamento básico, logística, conectividade, saúde e educação. Trata-se de uma região que foi esquecida por muito tempo e hoje convive com  um baixo índice de desenvolvimento humano (IDH) e baixa renda”, explica o coordenador do Fórum, Marcelo Thomé.

O primeiro bloco sobre cidades será moderado por Rodrigo Corradi, gerente de relações institucionais do ICLEI, uma organização internacional que reúne mais de 1,7 mil governos locais comprometidos com o desenvolvimento sustentável. Participam  do painel o diretor regional da ONU-Habitat para América Latina e o Caribe, Elkin Velásquez, a diretora regional do programa de segurança energética e mudanças climáticas da Fundação Konrad Adenauer, Nicole Stopfer e prefeitos de cidades amazônicas.

O segundo bloco contará com as presenças do vice-ministro de ordenamento ambiental do território do governo da Colômbia, Roberto Mario Esmeral Berrio, da gerente de mudança do clima e biodiversidade no ICLEI América do Sul, Sophia Picarelli, do pesquisador sênior associado da consultoria Way Carbon, Sérgio Margulis, e do secretário executivo da Frente Nacional de Prefeitos, Gilberto Perre.

Fórum busca soluções para desenvolvimento da região

Espaço Alternativo é uma opção de lazer para população de Porto Velho (RO)

O Fórum Amazônia+21 é uma iniciativa para mapear perspectivas e buscar soluções para temas relacionados ao desenvolvimento da região e melhoria da qualidade de vida dos mais de 20 milhões de cidadãos que vivem na Amazônia Legal.

O programa é uma realização da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), Agência de Desenvolvimento de Porto Velho e Prefeitura de Porto Velho, com apoio da CNI e do Governo do Estado de Rondônia. “Criamos um espaço de troca de ideias, de encontros dos contraditórios para buscarmos soluções juntos. Vamos sair da opinião e juntar o setor produtivo, a pesquisa e a ciência, os saberes da população amazônica para encontrarmos os melhores caminhos para a região e para o Brasil”, explica Thomé.

O Fórum será totalmente virtual e ocorrerá de 4 a 6 de novembro deste ano. Os debates sobre os desafios e as soluções para a Amazônia se darão a partir de quatro eixos temáticos: negócios sustentáveis, cultura, financiamento dos programas e ciência, tecnologia e inovação.

Confira a programação dos três painéis desta quarta (14):

Painel 1: Um Pouco Sobre a História e a Vida na Amazônia: a Diversidade dos Povos e os Desafios da Floresta, às 9h30

Participantes: Cacique Almir Narayamoga Suruí; escritor manauara Márcio Souza, autor de Mad Maria; e o geógrafo Gustavo Rangel, pesquisador e professor do departamento de antropologia da Universidade Federal de Rondônia

Painel 2: AMAZONIATIVA: Conectando Pessoas, Floresta e Mercados, às 11h

Participantes: Maria Jaqueline Freire, da Saboaria Rondônia; Savio Gomes, da Rede da Floresta; Paulo César Nunes, da Coopavam; e Beto Mesquita, do Instituto IBVRio

Para assistir aos painéis da manhã, acesse o YouTube da CNI.

Painel 3: O Papel das Cidades na Promoção do Desenvolvimento Sustentável da Amazônia, às 14h

Participantes do primeiro bloco: diretor regional da ONU-Habitat para América Latina e o Caribe, Elkin Velásquez, a diretora regional do programa de segurança energética e mudanças climáticas da Fundação Konrad Adenauer, Nicole Stopfer e prefeitos de cidades amazônicas. 

Participantes do segundo bloco: vice-ministro de ordenamento ambiental do território do governo da Colômbia, Roberto Mario Esmeral Berrio; da gerente de mudança do clima e biodiversidade no ICLEI América do Sul, Sophia Picarelli, do pesquisador sênior associado da consultoria Way Carbon, Sérgio Margulis; e do secretário executivo da Frente Nacional de Prefeitos, Gilberto Perre.

Para assistir ao painel da tarde, acesse o YouTube da CNI. 

Relacionadas

Leia mais

Proteger, conservar e desenvolver são os caminhos para a Amazônia
Financiamento e cooperação internacional pelo desenvolvimento da Amazônia
Regularização fundiária, investimentos em infraestrutura e governança são chave para o desenvolvimento da Amazônia

Comentários