SESI faz testes de Covid-19 nos trabalhadores do Rio de Janeiro

O Programa Testes Covid-19 é oferecido gratuitamente pela FIRJAN para pequenas indústrias e a preço de custo para as médias e grandes
A iniciativa faz parte do Programa Resiliência Produtiva, da FIRJAN

Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN), por meio do Serviço Social da Indústria (SESI), começou os testes moleculares contra o coronavírus nos trabalhadores da indústria do estado do Rio de Janeiro. 

Programa Testes Covid-19, que é oferecido gratuitamente pela federação para pequenas indústrias, e a preço de custo para as médias e grandes, será executado de abril a setembro pelo Centro de Inovação SESI Higiene Ocupacional (CIS HO) em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Presidente da FIRJAN, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira destaca que essa é uma contribuição do SESI para manter a saúde dos trabalhadores da indústria, principalmente das pequenas empresas, protegendo eles e suas famílias. “Com a realização destes testes, reforçamos nossos esforços para um trabalho seguro, garantindo que os bens produzidos cheguem aos supermercados, farmácias e nas casas das pessoas”, frisou.

A federação lançou em 4 de abril o Programa Testes Covid-19 com o objetivo de promover a testagem exclusiva nos 556 mil funcionários da indústria fluminense, a fim de agilizar o diagnóstico de doença, protegê-los e, assim, contribuir para evitar a propagação do coronavírus no estado do Rio. A iniciativa tem capacidade de processar até 2.248 testes por dia.

Carlos Henrique Krüger, comprador da gráfica Wal Print, em Bonsucesso, disse que a iniciativa traz segurança para os trabalhadores das indústrias do estado. “O teste é muito simples e rápido, e nos traz calma para seguirmos trabalhando e tomando todas as precauções. Esse cuidado com os industriários ajuda, inclusive, a produzirmos com mais eficácia”, concluiu.

As coletas começaram pela cidade do Rio de Janeiro, onde há mais casos de Covid-19, seguirão para a Região Metropolitana e, por fim, por todo o estado.

Empresas interessadas em aplicar os testes em seus funcionários devem clicar aqui

Metodologia recomendada pela OMS

A metodologia usada será a do padrão-ouro para diagnóstico, com coleta de secreções do nariz e garganta com o auxílio de hastes flexíveis. Recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ela se baseia na detecção do material genético do vírus, com acurácia maior que 99% e pode detectar a presença do vírus antes do surgimento dos sintomas de Covid-19. 

Pesquisador chefe do Centro de Inovação SESI Higiene Ocupacional, Antonio Augusto Fidalgo Neto enfatiza: “Esta metodologia apresenta acurácia maior que 99% e pode detectar a presença do vírus antes do surgimento dos sintomas da doença causada pelo novo coronavírus”.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Brasil pode deixar importante legado de inovação após a crise do coronavírus
SESI e SENAI conquistam reconhecimento  internacional no combate à covid-19
Conheça as iniciativas do SESI e do SENAI para ajudar no combate ao coronavírus

Comentários