SENAI abre as portas da inclusão

No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, confira ações para promover a capacitação e inclusão nos ambientes de trabalho

ilustração: ambiente de trabalho, com pcd

A inclusão de pessoas com deficiência é responsabilidade de todos. Família, educadores, autoridades e empresas desempenham papéis cruciais para oferecer oportunidades para pessoas com deficiência.

O Brasil tem 17,3 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda que seja um grupo significativo, entre aqueles que já têm idade para trabalhar (14 anos ou mais), apenas 28,3% integram a força de trabalho brasileira. Para que a comparação fique clara: entre as pessoas sem deficiência, o índice sobe para 66,3%.

Por isso, hoje (21), Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, a Agência de Notícias da Indústria vai mostrar como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) atua na capacitação de pessoas com deferência (PcDs) e na preparação de empresas para que ofereçam um ambiente de trabalho inclusivo.

A gestora do Programa SENAI de Ações Inclusivas (PSAI), Adriana Barufaldi, explica que a integração é inserir as pessoas com deficiência no ambiente, já a inclusão é, além de inserir, oferecer recursos e adaptações que promovam um ambiente de desenvolvimento das potencialidades da PcDs.


“O SENAI tomou uma decisão de ser uma escola para todos e quando a gente fala para todos a gente fala considerar todas as singularidades, as especificidades, necessidades e criar o acesso a permanência e o êxito dessas pessoas”, destaca Barufaldi.


O PSAI olha para todos os aspectos da inclusão, da diversidade e das necessidades específicas do público da educação inclusiva. O programa trabalha com gênero, maturidade, pessoas com deficiência, migrantes e grupos vulneráveis.

Da sala de aula para o mercado de trabalho

Foto: aluna SENAI
Kryshna Carmo desenvolveu conhecimentos em informática e tecnologia da informação no SENAI

Kryshna Carmo tem um tipo leve de autismo. Ex-aluna do SENAI, ela encontrou apoio e suporte dos professores para realizar novos cursos. “Sempre fui muito louca por áreas de Tecnologia da Informação (TI). Então, em 2019, vi uma vaga para o curso de Mantenedor e Reparador de Dispositivos Moveis no SENAI e resolvi me inscrever”, relembra.

Após a primeira experiência no SENAI, Kryshna continuou sua jornada pelo desenvolvimento profissional. “Assim que terminei o cursinho, fui convidada a fazer o curso de Manutenção e Suporte em Informática. Sempre tive dificuldade para me inserir na sala e fazer amigos. Os professores me ajudavam quando eu estava perdida e sempre me inseriam nas dinâmicas”, relembra a tecnóloga.

Quando concluiu o curso, a estudante foi indicada para uma vaga de informática no SESI/PB. Dentro da instituição, ela trabalha com o suporte técnico de serviços da Microsoft para alunos e professores. “Pretendo fazer mais cursos do SENAI. Gosto muito da área do Design e, assim que surgir a oportunidade, vou fazer e procurar novos catálogos”, ressalta.

Tem lugar para todo mundo

Em Santa Catarina, o Serviço Social da Indústria (SESI) e SENAI se juntaram em um projeto de seleção de trabalhadores PcDs, capacitação, ofertas de empregos e melhoramento do convívio. A pauta Diversidade e Inclusão pode ser tratada em todos os tipos de empresas, independentemente de porte ou área de atuação.

O Portal da Inclusão é um programa de Responsabilidade Social da Federação de Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), que busca facilitar a conexão entre as empresas e os candidatos com deficiência. Ele é gratuito, para empresas e candidatos, onde é possível postar vagas, acessar e cadastrar currículos de todo o estado.

O programa existe desde 2007, com o principal objetivo de capacitar pessoas com deficiência e auxiliar a indústria no cumprimento da lei de cotas. Ao longo dos anos, os serviços foram sendo ampliados visando atender as demandas apresentadas pelas organizações, com intuito de promover ambientes inclusivos. Quando o assunto é inclusão e diversidade, os atendimentos são voltados para consultorias, Libras, mobilização social e trilhas de desenvolvimento

Capacitação e oportunidades de emprego combinam com a inclusão

No âmbito nacional, o SENAI desenvolve um projeto de inclusão montado de forma exclusiva para a empresa contratante. A duração varia de acordo com o programa escolhido e pode contar com turmas de qualificação profissional exclusivas para o público PcD. A aulas são realizadas nas instalações do SENAI, pois precisam de materiais adaptados e equipes especializadas.

O SENAI também pode atuar na captação dos participantes, com equipes de campo que divulgam o projeto em diversos canais de comunicação como: Linkedin, Portais do SENAI, mídias sociais, carros de som nas localidades de interesse, corpo a corpo em diversas instituições como INSS, ONGs, associações e muito mais.

Os inscritos, inicialmente, acessam um link para preencher e participar do projeto, depois passam por uma seleção prévia, além de uma avaliação educacional para compor o book com todos os candidatos.

Para construir ambientes mais inclusivos, são feitas sensibilizações com as equipes das empresas. Além de esclarecimento acerca do tema, os participantes vivenciam dinâmicas para o meio corporativo. As lideranças das unidades também são envolvidas durante todo o processo.

Todo os projetos são 100% customizados para a realidade e necessidade de cada empresa, seguindo as diretrizes, regras e fundamentos de Diversidade e Inclusão. 

A possibilidade de triunfar é dada pelo SENAI

Há 3 anos, o SENAI-GO, em parceria com a empresa Triunfo, desenvolve um programa para pessoas com deficiência com o objetivo de qualificar os alunos para o mercado de trabalho, de preferência que sejam absorvidos pela Triunfo Concebra, considerada a maior concessão de rodovias do país, percorrendo o DF, GO e MG.

O diretor administrativo financeiro da Triunfo, Daniel Amaral, explica que o programa teve que dar uma pausa durante a pandemia de Covid-19, mas já foi retomado este ano.

“A companhia já formou mais de setenta pessoas com deficiência no curso de auxiliar administrativo. Desde a primeira edição, em 2018, o SENAI tem sido um grande parceiro. Temos tido êxito nesse processo de primeiro contato de formação básica profissional e, a partir desse pontapé inicial, se desenvolver no mercado”, relata.

Foto: sala de aula da Triunfo.
No total, mais de 80 alunos foram formados pelo programa.

Com a terceira turma em andamento, o programa é gratuito e 100% presencial, com professores especializados e intérpretes de libras em sala. No total, mais de 80 alunos foram formados pelo programa.

As inscrições são feitas após entrevista com RH da Triunfo e pessoal do SENAI FATESG. O principal objetivo do programa é a preparação para o mercado de trabalho, sendo o curso ofertado atualmente o de Assistente Administrativo.

Relacionadas

Leia mais

A importância da inserção de pessoas do espectro autista no mercado de trabalho
Aprendizado sem fronteiras: SENAI qualifica alunos estrangeiros
Acessibilidade na educação e nas empresas para inclusão de surdos no mercado de trabalho

Comentários