FIEPA entrega segundo lote de protetores faciais para profissionais da saúde

Em apenas três dias, 550 unidades foram doadas para os municípios de Abaetetuba, Breves e Moju
O uso deste equipamento evita a contaminação por meio de gotículas de saliva e fluidos corporais de pessoas contaminadas

A Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA), por meio do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), está dando seguimento ás doações de equipamentos de proteção individual (EPI) do tipo protetores faciaisque serão destinados a profissionais da saúde, atuantes na linha de frente do combate ao novo coronavirus.

Em apenas três dias, 550 unidades foram doadas para os municípios de Abaetetuba, Breves e Moju; e para o Museu Goeldi, que por meio da campanha “Marajó Vive” levará os EPI's para centros de saúde e hospitais do Arquipélago. Neste segundo momento da ação, serão doados um total de 10 mil protetores faciais. Na primeira etapa, realizada em abril, foram entregues 1.100 unidades.

O uso deste equipamento de proteção individual pelos profissionais da saúde tem por objetivo evitar a contaminação, principalmente dos olhos, com gotículas de saliva e fluidos corporais de pessoas contaminadas, durante o atendimento médico. O equipamento deve ser utilizado em conjunto com a máscara. Os protetores são duráveis e reutilizáveis desde que corretamente higienizados com etanol 70% ou outro agente sanitizante.

A coordenação da ação está sendo feita pelo Instituto SENAI de Inovação em Tecnologias Minerais (ISI-TM), instalado em Belém, de onde é feita a distribuição dos equipamentos. O ISI-TM também produziu parte dos protetores que foram entregues no primeiro lote.

"Apesar de sermos um Instituto de P&D voltado ao setor mineral, não podíamos deixar de contribuir nesse momento de dificuldade. Junto com outros parceiros conseguimos escalonar a produção para o atendimento de um maior número de profissionais da saúde", diz o diretor do ISI-TM, Adriano Lucheta.

A ação tem ainda a parceria da Gráfica Sagrada Família, indústria responsável por fazer o corte do escudo, um dos componentes do EPI; da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (ABINFER) e da metalúrgica Usifer, que doaram as tiaras feitas por injeção.

O secretário de saúde do município de Breves, Amaury Cunha, destaca a importância da ação, fruto da solidariedade dos envolvidos. “O mundo está vivendo um momento em que obriga o reinvento da humanidade. Nesse sentido é importante que se observe a forma solidária do que o brasileiro é capaz. Seguindo essa linha de raciocínio é importante salientar a preocupação do Sistema Indústria em contribuir de forma direta e específica com doação de material de proteção EPI para que os municípios possam ampliar o nível de segurança dos trabalhadores que estão na ponta e no dia a dia”, considera.

Manutenção de respiradores mecânicos no Pará

Outra ação da FIEPA no combate ao coronavirus é a recuperação de respiradores pulmonares danificados. O trabalho faz parte da iniciativa Mais Manutenção de Respiradores, rede voluntária mobilizada pelo SENAI em todo o Brasil com grandes indústrias e instituições, criada para consertar aparelhos que estão sem uso.

No Pará, os equipamentos estão sendo consertados por uma equipe composta por instrutores do SENAI, voluntários e a empresa Biomeditech. Desde o início da ação, mais de 40 respiradores de hospitais públicos e filantrópicos já foram consertados.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

SESI da Paraíba entrega 15 mil máscaras ao Sinduscon
Indústria têxtil reforça produção de fibras específicas para EPI’s
Rede coordenada pelo SENAI devolve a hospitais mais de 1 mil  respiradores pulmonares

Comentários