Clique duas vezes para editar
Aperte para editar

INPI concede registro de Indicação Geográfica para a farinha de Uarini

O município de Uarini (AM) ficou conhecido pela extração e produção de farinha de mandioca. Entrega do certificado aconteceu em Manaus, em evento de Propriedade Intelectual, com a presença de representantes da CNI, do INPI e do Sebrae

Famoso há tempos pela farinha, o município de Uarini, no interior do estado do Amazonas, recebeu, nesta terça-feira (27), um reconhecimento aguardado há mais de dois anos. O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) entregou a certificação de “Uarini” como Indicação Geográfica para o produto farinha de mandioca, na modalidade de Indicação de Procedência. O reconhecimento da Indicação Geográfica passa a conferir proteção à farinha da região e beneficia os produtores, já que o uso do nome do produto passa a ser exclusivo deles. A delimitação geográfica da IG Uarini inclui os municípios de Uarini, Alvarães, Tefé e Maraã.

A entrega do documento aconteceu na Universidade do Estado do Amazonas (UEA), antes da Oficina sobre Indicações Geográficas promovida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o INPI. Essa é a terceira Indicação Geográfica concedida ao estado do Amazonas e a 65ª nacional.

O produtor Francisco Falcão (centro) recebe o certificado do INPI acompanhado de membros da CNI e do Sebrae

Na cerimônia, o registro foi entregue por Milene Dantas Cavalcante, chefe do Escritório de Difusão Regional Centro-Oeste/Norte do INPI. “É uma grande satisfação entregar esse certificado. Representa muito mais do que um registro, em si. É o reconhecimento do esforço da comunidade em reconstruir toda a sua história e tradições e de ter reconhecido um produto de grande importância para a região”, disse. O chefe da Divisão de Exame Técnico de Marcas e Indicações Geográficas do INPI, Pablo Regalado, também comemorou o registro. “É uma responsabilidade muito grande fazer com que a Indicação Geográfica saia desse papel. E é o que queremos ver”, frisou.

Quem representou os produtores da farinha de Uarini para receber o certificado foi Francisco Falcão. Entusiasmado, ele disse que a concessão é uma conquista para os produtores da região. “Receber esse documento é uma nota a mais pelos nossos esforços, que começaram em 2014. Daqui para frente, é mais conscientização, mobilização e resultados”, afirmou.

A CNI, que ajuda a promover o tema no Brasil por meio do Programa de Propriedade Intelectual para o Desenvolvimento Industrial, também esteve presente no evento. Maria Cláudia Nunes Pinheiro, analista de Políticas e Indústria da Gerência Executiva de Política Industrial da CNI, destacou a dedicação dos produtores da farinha no processo. “O reconhecimento da IG da Farinha de Uarini é uma vitória dos produtores. Muito empenho foi dedicado durante todo o processo, mas o trabalho está apenas começando. O desafio, agora, é ganhar novos mercados e trazer o valor agregado para os produtores”, explicou.

SAIBA MAIS – Para conhecer mais sobre a farinha de Uarini, confira o especial da Agência CNI de Notícias: O Brasil que a Gente Produz. Veja também a íntegra do documento de reconhecimento da Indicação Geográfica de Uarini para a farinha na Revista da Propriedade Industrial, do INPI.

Relacionadas

Leia mais

Um panorama das indicações geográficas no Brasil
Joias em prata de Pirenópolis são a nova indicação geográfica brasileira
Vinhos finos da região de Farroupilha terão indicação geográfica

Comentários