Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, recebe exposição do Prêmio Marcantonio Vilaça

Amélia Toledo é a artista homenageada do projeto Arte Indústria do 5º Prêmio CNI SESI SENAI do Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas. O projeto Arte Indústria destaca trabalhos artísticos com processos de criação relacionados à produção industrial

O Museu Histórico Nacional , no centro do Rio de Janeiro, receberá ares de contemporaneidade com a mostra do 5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas . Aberta ao público a partir do dia 20, a exposição tem trabalhos de referência que fazem parte da trajetória de cada um dos cinco artistas premiados. Para o curador do Prêmio, Marcus Lontra, uma mostra que reflete a diversidade estética característica da arte contemporânea.

Os artistas vencedores do prêmio levam à mostra vídeos, fotografias, desenhos, instalações e objetos. São obras dos artistas Berna Reale (PA), Gê Orthof (DF), Grupo EmpreZa (GO), Nicolás Robbio (SP) e Virgínia de Medeiros (BA). A exposição ainda conta com o projeto “Quando o tempo aperta”, do carioca Raphael Fonseca, um dos curadores premiados em abril de 2015.

Em seu projeto vencedor do Prêmio Marcantonio Vilaça, Raphael pensou na relação entre arte e indústria. A partir daí, decidiu desenvolver algo que remetesse à ideia de trabalho e de cansaço. Assim nasceu a exposição "Quando o tempo aperta", com trabalhos dos artistas Adriano Costa, Ana Maria Tavares, André Komatsu e Marcelo Cidade, Gabriela Mureb, Hélio Oiticica, Lais Myrrha, Leandra Espírito Santo, Lucio Costa, Pierre Verger, Raquel Stolf, Rochelle Costi e Sara Não Tem Nome.

ARTE INDÚSTRIA – Além das obras premiadas nessa edição, o projeto paralelo “Arte Indústria”, em homenagem à artista brasileira Amelia Toledo, também estará em cartaz no museu. Em sua trajetória profissional, Amelia trabalhou, pesquisou e valorizou não apenas materiais extraídos da natureza, mas também aqueles que, a partir de procedimentos manufaturados, permitem a ampliação da tecnologia e da criatividade humana.

Amelia trabalha com placas metálicas, resinas plásticas, PVC, matérias têxteis, vidros e uma série de materiais industrializados que dialogam em harmonia com areias, conchas, pedras e madeiras. Veja o vídeo que conta um pouco da trajetória da artista.

PREMIAÇÃO – A cerimônia de premiação dos artistas foi realizada em abril do ano passado no Museu de Arte Contemporânea (MAC), em São Paulo. O curador Divino Sobral, de Goiânia, também teve o projeto de exposição premiado. O Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas é uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) , do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) .

SERVIÇO:
Mostra do 5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Visitação pública: 20 de abril a de 12 de junho de 2016
Horários:
Terça a sexta: 10:00 às 17:30
Sábados, domingos e feriados: 14:00 às 18:00
Local: Museu Histórico Nacional
Endereço: Praça Marechal Âncora, s/n, Centro – Rio de Janeiro
ENTRADA GRATUITA 

Relacionadas

Leia mais

Faça um curso do SENAI! Estão abertas as inscrições de opções pagas e gratuitas para todo o Brasil
Conheça os vencedores do Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
De qualificação técnica a mestrado e doutorado: o SENAI tem muito mais cursos do que você imagina!

Comentários