Inova Talentos é vantajoso para as empresas e para a carreira do bolsista

Coordenador do programa na Fiat, Paulo Sérgio Martins ressalta que tem divulgado a iniciativa como exemplo de inovação nacional e internacionalmente
Bolsistas do Inova Talentos e trabalhadores da FIAT

Parceiro da Fiat Chrysler Automobiles desde 2015, o programa Inova Talentos, do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), tem colaborado substancialmente para o sucesso de importantes projetos na área de inovação da multinacional italiana do setor automotivo. Em entrevista à Agência CNI de Notícias, o analista de Manufatura Paulo Sérgio Martins, coordenador da equipe do Inova na Fiat, contou que a iniciativa levou bolsistas qualificados para a empresa com ótimo custo-benefício.

“Os bolsistas conseguiram desenvolver patentes, dão suporte na preparação de eventos voltados para a inovação e estão diretamente envolvidos na parte de treinamento”, destacou Martins. “É um programa muito vantajoso para a empresa em diversos aspectos. Além de recebermos um profissional da área, que é um bolsista capacitado e com cabeça fresca, pois saiu há pouco tempo da universidade, conseguimos deduzir o valor da bolsa nos impostos em até 50%. Os resultados são fantásticos. Por isso, estamos divulgando muito o programa nacional e internacionalmente”, ressaltou.

Para o coordenador do Inova Talentos na Fiat, a participação no programa resulta em grandes benefícios para a carreira dos bolsistas, uma vez que eles têm contato com as principais tecnologias da empresa e com profissionais de ponta. “Os bolsistas saem da universidade sem muitas experiências práticas. Na empresa, participam de projetos, conhecem o mundo da indústria e passam a ter contato com o dia a dia da inovação. Eles têm um ganho imenso para a carreira, entre outros motivos porque recebem o acompanhamento de um gestor e têm o feedback do trabalho que desenvolvem. Não são simplesmente bolsistas, fazem parte do time da própria empresa”, enfatizou Martins.

A Fiat já recebeu quatro bolsistas do Inova Talentos, programa voltado à aproximação entre a indústria e os centros de pesquisa das universidades para a transformação de pesquisas em negócios, produtos e serviços. A iniciativa seleciona projetos de inovação das empresas e institutos interessados em receber profissionais. Em seguida, jovens profissionais com até três anos de formação universitária se candidatam para receber bolsas para acompanhar e desenvolver o projeto de inovação aprovado pelo programa.

"Não são simplesmente bolsistas, fazem parte do time da própria empresa”, enfatizou Martins" - Paulo Martins

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL – Paulo Martins alertou que, mesmo nos casos em que a empresa não contrata o bolsista, ele sai preparado para o mercado de trabalho e com enorme vantagem em relação àqueles que não tiveram experiências na indústria. “Se a empresa não absorve esse profissional, outra sairá beneficiada pelo preparo desse jovem que passou 12 ou 24 meses numa grande companhia, que teve contato com a realidade da inovação e com ferramentas de resolução de problemas”, observou.

Bolsista durante quase dois anos na Fiat, a bacharel em química Mariana Gomes, de 29 anos, foi contratada há quatro meses pela companhia para atuar em outro departamento da FCA. “Foi o Inova Talentos que me abriu a oportunidade para ingressar na empresa. Sempre quando fico sabendo de alguma oportunidade no Inova Talentos, indico a vaga para colegas que estiveram comigo na universidade”, contou.

“O Inova Talentos me abriu portas, me deu a oportunidade de ingressar na Fiat. Como bolsistas, conhecemos as áreas, integrando com vários setores e trabalhando com excelentes profissionais. Isso contribui muito com o crescimento profissional”, completou Mariana.

O bolsista Adelti Assis Silva, 24 anos, pretende trilhar o mesmo caminho de Mariana. Ele atua na fábrica da Fiat, em Minas Gerais, desde março de 2017 e tem bolsa até o começo de 2019. Engenheiro mecânico de formação,  trabalha em um projeto de desenvolvimento de fluido de corte através da glicerina proveniente da reação do biodiesel. “Não conseguimos ter controle em relação à demanda da empresa por novos profissionais, mas o que posso assegurar é que tenho trabalhado muito para estar preparado e para ser contratado, caso haja uma oportunidade na Fiat”, disse.

OPORTUNIDADE DE CARREIRA- Segundo Adelti, o programa deve ser encarado por jovens graduados como oportunidade para o ingresso na indústria, principalmente em razão do momento econômico adverso enfrentando pelo país. “O Inova Talentos exerce o importante papel de incetivar a inovação no Brasil mesmo com o momento econômico atual. É um projeto de pesquisa que tem forte interação com as universidades. Além do desenvolvimento tecnico, auxilia o bolsista a desenvolver as habilidades interpessoais e de gestão”, elogiou.

A engenheira química Izabella Meijón, 26 anos, também é bolsista na Fiat e diz que, em três meses na empresa, tem absorvido grande aprendizado que levará para a carreira profissional. “Estar dentro da engenharia de manufatura da Fiat é uma enorme oportunidade. A empresa trabalha muito com inovação e nós fazemos parte dessa equipe, somos vistos como funcionários e não como bolsistas”, detalhou.

Izabella acrescentou que considera o programa uma das melhores opções para profissionais recém-formados, o que é o caso dela – concluiu a graduação em dezembro do ano passado. “Indico com certeza, principalmente para quem está focado só na busca por empregos. Esse caminho te dá uma base profissional diferenciada, com suporte de trainee e apoio da própria empresa e do IEL no acompanhamento.”

INOVATEC – A Fiat também tem parceria com o InovaTEC, outro programa do IEL, que já forneceu três bolsistas para a empresa. Esse projeto é destinado a estudantes matriculados em curso superior e/ou superior tecnológico que auxiliam pesquisas desenvolvidas por professores junto às indústrias. “Estamos há quatro meses com o programa. A pegada do InovaTEC é um pouco diferente e a resposta já está sendo bastante satisfatória, com parcerias com a UFMG e a PUC-MG”, disse Paulo Martins.

Relacionadas

Leia mais

Inova Talentos é eficiente e traz resultados para a empresa, diz coordenador da Bosch
País deve pensar no futuro e virar chave do seu crescimento, diz Gianna Sagazio

Comentários