Tradição mineira em Escultura em Pedra na WorldSkills

Nikolas entrou no SENAI por pressão da mãe, mas descobriu um mundo novo na escola e nos torneios de profissões técnicas
Tocar violão, cavaquinho, piano e ler são atividades que passaram a ficar em segundo plano na vida do competidor

Minas Gerais é famosa por seus muitos artistas que esculpiram em pedra. E de Minas vem o competidor que representará o Brasil na categoria Escultura em Pedra no maior torneio de profissões técnicas do mundo.

Nikolas Rezende se prepara com afinco e sem pressa para a WorldSkills 2019. “Quero ainda aprender bastante antes de ir”, afirma.

Ele sabe bem como funcionam as competições. Poucos meses depois de começar a cursar Usinagem Mecânica no SENAI em Belo Horizonte, foi convidado a disputar a categoria Modelagem de Protótipos. Ficou com o terceiro lugar nas seletivas. Depois disso, se dedicou a treinar para uma nova categoria, Escultura em Pedra.

O jovem mineiro entrou no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) por pressão da mãe, que queria que ele tivesse contato com áreas que ele nem conhecia. “Eu só esperava que fosse legal e me desse uma oportunidade no futuro”, conta.

Tem sido muito mais do que isso.

Fã de séries e filmes de suspense, Nikolas não tem tido muito tempo livre para manter tudo em dia por causa do intenso treinamento para o torneio. A competição será na cidade de Kazan, a 800 quilômetros de Moscou, na Rússia, no mês de agosto. Tocar violão, cavaquinho, piano e ler também são atividades que, por enquanto, passaram a ficar em segundo plano.

Já de olho no mercado de trabalho, ele pretende fazer faculdade de Engenharia Mecânica quando voltar da Rússia. Como na área de Escultura em Pedra não existem muitas oportunidades no Brasil, Nikolas “namora” também a possibilidade de receber um convite para trabalhar fora do país.

Relacionadas

Leia mais

Maranhense que mora em Goiás, João Vitor vai buscar o ouro na Rússia
Competidor da WorldSkills quer surfar uma boa onda na web
Dos desenhos de carrinhos à automoção industrial

Comentários