SESI Goiás expande novo ensino médio

Novo modelo será adotado em todo o Estado a partir do próximo ano
Alunos do novo ensino médio em Goiás

Você já imaginou uma escola em que as disciplinas são integradas, a matemática é ensinada por meio de jogos e músicas como rap e os estudantes são avaliados por habilidades, e não por provas? Essa realidade já é vivenciada, desde fevereiro de 2018, por 38 alunos de uma turma-piloto do novo ensino médio, na Unidade Integrada SESI SENAI Aparecida de Goiânia. Os resultados são tão positivos que a experiência pedagógica será estendida em 2019 a outras quatro unidades do SESI em Goiás.

As instituições do Sistema FIEG colocam em prática na sala de aula o que preconiza a nova Lei do Ensino Médio, sendo pioneiras em Goiás na implementação de um currículo organizado por áreas de conhecimento e não por disciplinas, totalmente contextualizado à realidade dos estudantes e integrado à formação técnica e profissional. O formato permite aos estudantes iniciar mais cedo a vida profissional e aplicar no dia a dia o que é ensinado na sala de aula.

Assim como a maioria da turma-piloto, Pedro Henrique Mota, de 15 anos, sempre temeu a matemática. Ele conta que passou a enxergar a disciplina de outra maneira. “Desde que começamos a estudar geometria, eu não consigo mais deixar de ver a matéria em tudo que eu olho. Eu vejo cilindros e retângulo em tudo”, explica o estudante, cujas notas melhorarem em pouco tempo de experiência. “Se no primeiro ano já obtive essa grande mudança, imagina no terceiro ano.” 

Pedro Henrique passou a encarar a matemática de outra maneira

A disciplina de cálculos e números também fazia parte dos pesadelos de Guilherme Belo, 16 anos. Em 2017, ele chegou a tirar zero em uma prova na antiga escola. Neste ano, está com média A. Apaixonado por jogos de RPG – sigla em inglês de role playing games, ou jogos de interpretação de papéis –, ele percebeu que é possível usar a matéria no passatempo preferido e, durante os trabalhos em grupo, tem ensinado os colegas de sala a jogar utilizando técnicas da matemática. “Eu pensava: "pra que eu vou usar isso na minha vida?" E agora vejo que o que aprendemos está em tudo ao nosso redor. Depois deste ano, eu me sinto preparado para o mundo”, afirma.

Guilherme é fã de RPG

O professor de matemática Luis Adolfo Oliveira acredita que só é possível inserir a disciplina no dia a dia dos alunos porque semanalmente são realizadas reuniões entre professores de todas as áreas. “Trabalhamos para mostrar a eles que tudo está ligado. A gente só precisa ter um olhar mais carinhoso para as coisas”, diz. Para o professor, os estudantes aprenderam a enxergar a matemática como uma ferramenta com que eles podem contar para ajudar nas tarefas da vida.

Professor Luís acredita que o sucesso do novo modelo se deve também ao trabalho conjunto dos docentes

Notas baseadas em habilidades

Diferentemente da educação tradicional, no novo ensino médio implantado na Unidade Integrada SESI SENAI Aparecida de Goiânia, os alunos são avaliados por habilidades que desenvolvem durante as aulas. São considerados aspectos como produção de inovação pelo aluno, participação com perguntas, se demonstra autoconfiança ao responder, se respeita os professores e demais colaboradores da escola e se é criativo. As notas aplicadas vão de A a E, sendo A para avançado, B para proficiente, C define nível intermediário, D (básico) e E (abaixo de básico).

Se engana quem pensa que não fazer provas torna tudo mais fácil. Pâmela Cristina, de 15 anos, conta que no início foi bem difícil adaptar-se. “O método é bem diferente. É um pouco complicado ser avaliado assim. Temos de nos acostumar a pegar firme todos os dias. Nossa nota não vem de uma prova e sim de tudo o que fazemos.”
 

Pamela diz que foi preciso se adaptar ao novo modelo

Experiência chama atenção do Conselho de Educação

Os integrantes do Conselho Estadual de Educação visitaram a turma-piloto do novo ensino médio da Unidade Integrada SESI SENAI Aparecida de Goiânia. Os conselheiros fizeram perguntas sobre o aprendizado e ouviram dos estudantes explicações sobre a maneira de avaliação, sobre a convivência no ambiente escolar, como estudar com liberdade para usar aparelhos celulares na sala e também como ser protagonista do conhecimento.

Integrantes do Conselho Estadual de Educação visitam escola SESI SENAI

Presidente do Conselho Estadual de Educação, Marcos Elias Moreira explica que os números, dados e análises atuais indicam que é necessário mudar o ensino médio brasileiro e que experiências como a turma-piloto em Aparecida de Goiânia demostram que, além da necessidade de mudar, já há caminhos formulados e percorridos. “Me pareceu uma experiência a ser observada e analisada para equacionar esse que talvez seja o maior gargalo da educação brasileira hoje, que é o nosso ensino médio", avalia Moreira. 

Relacionadas

Leia mais

VÍDEO: Minuto da Indústria mostra que o tabelamento do frete aumentou em 100% o custo do tranporte
Estudantes do SESI e SENAI Amapá participam de intercâmbio nos Estados Unidos
Alunos do SESI de MS embarcam para etapa regional de Torneio de Robótica

Comentários