Rede SESI de Ensino terá colaboração em rede e material didático próprio

Com o objetivo de reunir iniciativas de Educação voltada para o futuro, Novo Sistema Estruturado de Ensino foi lançado nesta sexta-feira (25)
Para a elaboração do material, cada estado indicou educadores que iriam contribuir, desde a Educação Infantil até o Ensino Médio

Educar para o futuro é a principal premissa das escolas que compõem a rede do Serviço Social da Indústria (SESI), que por meio da tecnologia, consegue preparar seus alunos para profissões modernas, tendo como base a resolução de problemas.

A partir de agora, o DNA das escolas SESI será sintetizado que é o Sistema Estruturado de Ensino alinhado com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), lançado nesta sexta-feira (25).  Muito mais do que material didático próprio e autoral, o novo  Sietema de Ensino reúne um conceito pedagógico voltado para o desenvolvimento produtivo/industrial, porque se baseia nos preceitos STEAM, acrônimo em inglês usado para se referir às áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Matemática e Artes, nas metodologias ativas e no protagonismo dos professores e estudantes 

“Estamos reunindo todo o conhecimento que acumulamos em nossas escolas de todo o País em uma matriz que terá como principal característica preparar o nosso estudante para um futuro cada vez mais tecnológico e voltado para a resolução de problema”, afirma Rafael Lucchesi, diretor-superintendente do SESI. 

Para conseguir produzir esse material, o SESI contou com a ajuda de 120 professores que foram indicados pelos 27 Departamentos Regionais em cada estado da federação. Eles se basearam em projetos bem sucedidos realizados nas escolas para estruturar o sistema.  

“Com um sistema estruturado, teremos o eixo que estrutura o conteúdo, a metodologia de ensino, o material didático e, principalmente, a formação do maior ativo de uma escola que é o professor”, destaca Lucchesi. 

Modelo norteia uso de tecnologia em sala de aula e pode ser replicado por outras escolas 

A lógica STEAM, bem como o uso da tecnologia, com atividades em programas de computadores (uso do Minecraft e de I.A.), noções de programação (kit de Robótica), está presente em todo o conteúdo do SESI. 

O diretor de operações da instituição explica que a ideia é que outras escolas possam utilizar as informações para expandir esse modelo, formando cada vez mais estudantes voltados para as profissões do futuro, que foram ainda mais aceleradas por causa da pandemia. 

O Sistema Estruturado de Ensino conta com:

  • Material didático autoral do SESI;
  • Assessoria pedagógica;
  • Formação de professores;
  • Simulados de avaliações externas;
  • Avaliações educacionais.
     
O SESI contou com a ajuda de 120 professores para a produção do material didático

Metodologia feita por professores, para professores

Durante o período de elaboração do material, cada estado indicou educadores que iriam contribuir, em todos os níveis (Educação Infantil, Educação Básica, Ensino Fundamental, Ensino Médio e EJA). Eles trouxeram experiencia bem sucedidas registradas nas mais de 500 unidades de escolas que compõem a rede SESI, com aproximadamente 200 mil alunos na Educação Básica, e mais de 90 mil estudantes na Educação de Jovens e Adultos.

“Foi de grande relevância esse trabalho porque nós pudemos levar um pouco da identidade e do perfil das nossas, com características e vivências dessa etapa tão importante, que é a Educação Infantil”, afirma Erlen Moura Barbosa, do estado do Amazonas.

Já o professor Gledson Queiroz, da Bahia, participou do projeto levando experiencias do EJA. “A construção desse material é algo que valoriza o trabalho do professor, demonstra o quanto ele é importante no sistema de ensino, ainda mais nos casos de Educação do trabalhador, como forma der elevar a autoestima e ampliar as possibilidades de vida e emprego, por meio da Educação”,  disse.  

“Queremos que este seja um material bem instrutivo e dinâmico para os nossos alunos”, afirmou Jana Machado, do Ceará, que contribuiu com experiencias vividas no Ensino Fundamental, anos finais. 
O professor Rodrigo Silva, de Goiás, elogiou a forma como outros docentes poderão se integrar com todos os processos de aprendizagem. A experiencia dele é voltada ao Ensino Médio e às novidades que já  vêm sendo implementadas na rede SESI, como a introdução da formação técnica profissional. 

“O nosso objetivo é um só: que o aluno aprenda e aprenda com qualidade nessa nova modalidade que estamos construindo que é o Novo Ensino Médio, aliado com as metodologias ativas”, disse. 

O diretor de Operação do SESI, Paulo Mól, explica que todo o conteúdo que norteará os próximos passos da Educação na rede SESI passará por constantes atualizações, já que os professores poderão fazer contribuições em rede.

“Estamos programando o futuro unindo o nosso DNA com o que há de mais próspero, que é a colaboração em rede, com a participação de todos”, afirma. 

Para elaborar o conteúdo, esses docentes trouxeram contribuições de experiencias vividas em sala de aula, como  o uso de metodologias ativas e de tecnologias digitais. “Nosso esforço é buscar ações que coloquem cada vez mais o estudante como protagonista do aprendizado, fugindo dos métodos tradicionais ‘nuca na nuca’ das salas de aula de antigamente”, explica o gerente de Educação Básica do SESI, Wisley Pereira. 

Para marcar o lançamento do Sistema Estruturado de Ensino da rede SESI, foi realizada uma cerimônia virtual de lançamento, que foi acompanhada pelos 120 professores da rede SESI de todo o Brasil, que colaboraram com a produção do material.

Relacionadas

Leia mais

SESI promove aulão on-line preparatório para o Enem totalmente gratuito
Alunos do SESI são medalhistas em Olimpíada de Matemática Internacional
SENAI desenvolve cursos EaD para alunos da educação especial

Comentários