Estudantes do SESI de Maceió são premiados na maior feira de iniciação científica do país

Com o projeto Acusticoco - paineis fabricados com fibra de coco - os alunos da Escola SESI Cambona foram reconhecidos, em São Paulo, pela inovação que reduz poluição sonora em salas de aula. Premiação foi realizada em feira promovida pela USP
Os estudantes e os professores exibem, orgulhosos, o certificado da premiação e o Acusticoco

O projeto “Acusticoco”, desenvolvido por alunos e professores da Escola SESI Cambona, em Maceió, conquistou o Prêmio ABRIC (Associação Brasileira de Incentivo à Ciência) de Excelência em Iniciação Científica. Os vencedores foram anunciados na última sexta-feira (22) durante a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), promovida pela Universidade de São Paulo (USP).

O Acusticoco consiste em painéis para condicionamento acústico, fabricado com fibra de coco, a serem aplicados em salas de aula. O objetivo é reduzir a poluição sonora que tanto atrapalha a vida dos professores e dos próprios estudantes.

A professora que sugeriu a ideia e orienta a pesquisa é Cristiane Siqueira de Macêdo Nobre, de Matemática. Ela tem o apoio do professor de Ciências da Escola SESI Cambona, Walber Aleksander Aleluia.

Aluna do 1º ano do ensino médio, Wictoria Stephaniy Juaniy dos Santos esteve em São Paulo para apresentar, na maior feira de iniciação científica do Brasil, o projeto que criou, juntamente com os colegas Fábio Lucas de Britto Vasconcelos, do 3º ano, e Leonardo Raphael Palácio dos Santos, do 2º ano.

A pesquisa começou há, aproximadamente, um ano. “Na verdade, foi a professora (Cristiane) que estava se sentindo incomodada com o barulho dentro da sala de aula e perguntou para os alunos se eles também estavam se sentindo. Alguns disseram que sim e, aí, ela convocou três alunos da nossa escola para começar a pesquisar sobre materiais que a gente poderia usar para começar a fazer o projeto”, lembra Wictoria.

O Acusticoco consiste em painéis para condicionamento acústico, fabricado com fibra de coco, a serem aplicados em salas de aula

Segundo a diretora da Escola SESI Cambona, Alessandra Damacena, essa premiação é mais um incentivo à produção científica da unidade de ensino e ao engajamento professores e alunos em pesquisas.

“Entendemos a iniciação científica como elemento que ajuda na construção da autonomia dos alunos. Receber esse prêmio numa das mais expressivas feiras científicas do Brasil é a constatação de que nosso fazer diário está no rumo certo”, afirmou.

Também orgulhosa com a premiação, a professora Cristiane Nobre acredita que o Acusticoco é útil e prático para escolas. “Identificamos que poderíamos associar a fibra do coco ao tratamento acústico na sala de aula pra melhorar a aprendizagem e, também, a questão da poluição sonora”, disse.

Relacionadas

Leia mais

Da Bahia para Abu Dhabi: estudantes do SESI vão representar o Brasil no mundial de Fórmula 1 nas Escolas
VÍDEO: Novo ensino médio tem aprendizado contextualizado à realidade dos estudantes
VÍDEO: Tem Vaga! Se você não vai até a escola, a escola vai até você

Comentários