Comprometimento garante vaga para jovem representar Brasil no mundial de profissões técnicas na Rússia

De Mato Grosso, Gabriel ainda nem concluiu o ensino médio, mas se destaca em treinamentos para a WorldSkills 2019
"Treinei 10 horas por dia para atingir o nível que tenho hoje”, conta Gabriel Camargo

Medalha de ouro em duas diferentes modalidades da construção, Gabriel Camargo Pedroso, 18 anos, tem um histórico bem diferente da maior parte dos competidores que devem representar o Brasil na WorldSkills 2019, na Rússia. Antes de integrar a equipe, ele não fez curso técnico – sequer ainda terminou o ensino médio. Segundo ele mesmo conta, era um adolescente pouco comprometido com os estudos e sem perspectivas profissionais até ser convencido pela própria mãe, que fazia um curso técnico no SENAI da Construção em Cuiabá, Mato Grosso, a se engajar nos treinamentos.

Logo no início das aulas, o adolescente demonstrou habilidade na área de revestimento, conquistando o ouro na categoria na seletiva estadual. Em pouco tempo, foi deslocado para a modalidade de Construção de Estruturas para Concretos, na qual ganhou medalha de ouro na etapa nacional e credenciou-se a ser parte da equipe brasileira na maior competição de educação profissional do mundo.

Antes do SENAI, a vida não vinha sendo fácil para Gabriel. O pai saiu de casa e ele, a mãe e quatro irmãos moravam com o avô, que faleceu. A família ficou sem ter onde morar até ser acolhida na casa da mãe do padrasto do garoto. “Quando entrei no SENAI só pensava em dar orgulho para a minha mãe, porque eu era muito bagunceiro em casa”, conta. “Mas levei tudo muito a sério. Treinei 10 horas por dia para atingir o nível que tenho hoje”, conta.

Assim as coisas se ajeitaram, o torneio deu foco ao Gabriel. Seu objetivo é trazer da cidade de Kazan o ouro para o Brasil. Depois da competição, os planos são concluir o ensino médio e ser professor do SENAI para treinar novos competidores. A faculdade de Engenharia, Mecânica ou Civil, também está na lista de desejos do jovem competidor.

Relacionadas

Leia mais

Competidor da WorldSkills está de olho na Indústria 4.0 e nas novas tecnologias
Jovem dispensou primeiro emprego para competir na WorldSkills 2019
Conectado! Chegou a hora de Eduardo representar o Brasil na WorldSkills

Comentários