Competidora tem fome de aprender e por isso vai disputar na ocupação Florista na WorldSkills

Ex-aluna do Senac, jovem trancou curso superior de Arquitetura e Urbanismo para se dedicar aos treinos e ao mundial de profissões que acontece esta semana na Rússia
Ela conheceu o curso técnico por meio da prima que informou das inscrições abertas

“O mais bacana disso tudo é que eu saí de um curso gratuito e agora, vou para o mundo mostrar que nossa educação profissional brasileira tem futuro”, diz Jessica Cristina de Campos, 20 anos. A jovem nascida em Rio do Sul (SC) vai competir na ocupação Florista, em Kazan, na WorldSkills, nesta semana, e foi movida pela vontade de aprender que a competidora decidiu entrar em um curso de educação profissional.

Ela fazia faculdade de Arquitetura e Urbanismo e trabalhava como recepcionista em um consultório quando viu uma janela na sua rotina que poderia ser preenchida com o Curso de Florista do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Foi por meio da prima que a catarinense descobriu as matrículas abertas para a primeira turma aprovada pelo MEC em 2018 e sem perder tempo ela se inscreveu.

“Foi onde eu vi a oportunidade de acrescentar mais conhecimento na minha vida e me inscrevi no curso que justamente era no período que estava livre”, afirma Jessica.

Jessica está determinada a conciliar o trabalho com as flores e a faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Os cursos técnicos já fazem parte da família dela há um tempo. O pai, grande apoiador, fez primeiro um curso técnico em Enfermagem, área na qual atuou cerca de 20 anos. Mais tarde, ele fez outros cursos no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e, agora, trabalha com manutenção de eletrodomésticos.

Jessica é o orgulho da família por representar o Brasil lá fora e está radiante com essa oportunidade. “Sou feliz por ter essa fome de sempre querer aprender algo novo. É por esse desejo de aprender que hoje eu estou indo representar o Brasil em uma das maiores competições de profissionais do mundo”, conta.

Na volta, a catarinense pretende conciliar o trabalho com as flores e a faculdade. Também está entre os planos participar das próximas turmas de Florista na Escola de Arte Floral, que está em construção e logo será inaugurada. “Quero muito mostrar para outras pessoas como essa profissão tem futuro no nosso Brasil”, explica Jessica.

Relacionadas

Leia mais

Jovem dispensou primeiro emprego para competir na WorldSkills 2019
Conectado! Chegou a hora de Eduardo representar o Brasil na WorldSkills
WorldSkills abre uma janela de oportunidades, destaca competidor

Comentários