Brasil terá competidor de Tecnologia da Água em mundial de profissões

De Curitiba, Thiago Salkovski se apaixonou pela Química na adolescência e, após fazer um curso no SENAI, foi convidado a representar o país na WorldSkills 2019
Assim como o pai, o jovem se matriculou no SENAI para fazer um curso técnico de Química após dica da supervisora

Depois de fazer um curso de aprendiz na área de auxiliar de produção, Thiago Salkovski, 21 anos, começou a trabalhar no laboratório de uma grande empresa do setor elétrico. Ali, dentro do laboratório, Thiago concluiu algo que ele já suspeitava desde a escola: que sua vocação era trabalhar com Química, disciplina que sempre foi sua favorita desde a adolescência, vivida quase toda em Curitiba, capital do Paraná.

Sempre esforçado e compenetrado, Thiago contou com o incentivo de sua supervisora na empresa, que o aconselhou a fazer um curso técnico no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Como o pai dele, muitos anos atrás, também já havia estudado na instituição, o jovem não teve dúvidas e se matriculou no curso técnico em Química, no SENAI/CIC.

“Na época, eu estava querendo me profissionalizar, e como o SENAI sempre foi exemplo de educação profissional, resolvi me matricular, e, depois disso, surgiram muitas oportunidades”, conta Thiago, que só tinha viajado do Paraná para Santa Catarina, e, agora, está há poucos dias de embarcar rumo a Rússia, onde participará da WorldSkills na ocupação Tecnologia da Água.

O competidor conta que ficou em dúvida entre fazer curso técnico ou de tecnólogo, mas sua colega de firma, mais experiente, assegurou que o curso técnico era a melhor pedida para ele. E ela estava certa. No decorrer do curso Thiago foi se destacando pelo bom desempenho e foi convidado por um professor para participar da etapa estadual de escolha de competidores para a WS.

Fazer faculdade de Química está entre os planos do Thiago para quando retornar da Rússia

DA QUÍMICA PARA A TECNOLOGIA DA ÁGUA - O convite para entrar no mundo da WorldSkills veio junto com outro desafio: Thiago teria que competir numa área nova, que envolve muitos conceitos da Química, mas também Mecânica e Automação. A profissão Tecnologia da Água é relativamente nova, capacita pessoas para trabalhar como operador de uma estação de agua, na área de saneamento ambiental.

“Na primeira etapa, é mais Química, depois, entra a parte de válvulas e bombas e a parte mecânica, com muitos equipamentos”, explica Thiago ao falar sobre sua rotina de treinamentos e sobre a prova que será feita em Kazan.

Quando retornar da Rússia, o jovem que gosta de ler poesia, tocar violão e jogar futebol com os amigos, já sabe o que vai fazer: Engenharia Química em alguma universidade de Santa Catarina ou Paraná. “A WorldSkills vai me ajudar muito, o aprendizado vai me abrir muitas portas”, conclui.

Relacionadas

Leia mais

Guiado pelos ensinamentos do avô, jovem representará o Brasil na WorldSkills
Leonardo foi escolhido para treinar para a WorldSkills 2019 após se destacar como autodidata em Desenho Mecânico em CAD

Comentários