Aluna do Senac vai representar o Brasil na nova ocupação da WorldSkills

Com o curso de Recepcionista em Meios de Hospedagem, a carioca vai para Rússia disputar o ouro na modalidade que inicialmente seria apenas demonstrativa
Paula também participa de competições de dança com um grupo de K-pop no qual faz parte

Quem já viajou e precisou ficar hospedado em algum hotel sabe como é importante ser bem recebido, mas como será que os recepcionistas se preparam para nos atender e deixar tudo organizado para a chegada e saída de tantos hóspedes?

O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) tem um curso voltado para o ramo de hotelaria e esse ano, pela primeira vez, prepararam a competidora Paula Alves Senna, 21 anos, para participar da maior competição de profissões do mundo, a WorldSkills

A ocupação Recepção de Hotel estava listada para ser apenas demonstrativa, mas de última hora foi validada para fazer parte da disputa este ano na Rússia. Enquanto isso, Paula, que não sabia nada da competição, estava na fase final do curso Recepcionista em Meios de Hospedagem. Quando foi buscar o diploma na instituição, ouviu uma conversa no setor administrativo e percebeu características em comum entre ela e o perfil que uma professora procurava.

“Foi meio que cena de desenho. Minha orelha levantou, eu prestei atenção e não sei de onde veio a coragem, porque sou uma pessoa tímida, mas falei para a professora que ela estava me descrevendo”, conta a carioca.

Paula conversou com a professora e decidiu abrir mão da vaga de jovem aprendiz que estava garantida em uma rede de hotéis para se inscrever na WorldSkills. Semanas depois foi selecionada, treinou e competiu com outros colegas do Rio de Janeiro pela vaga para representar o Brasil em agosto desse ano.

“Na competição a gente tem um hotel modelo e é como se eu trabalhasse nele. Como no início a gente não tinha muitas informações pensávamos que seria um hotel em Kazan e por isso eu estudei bastante os pontos turísticos e os hotéis de lá. Até a história de várias estátuas da cidade eu sei”, explica a competidora. Ela teve sete meses para aprender tudo, mas apesar do pouco tempo, está confiante e determinada a trazer o ouro.

A competidora passou um tempo sem estudar até saber do curso técnico e descobrir a paixão pela hotelaria

A carioca explica que não sabia o que fazer quando conheceu o curso. Já tinha começado a fazer faculdade de Economia na Universidade Federal Fluminense (UFF), após alguns semestres decidiu contar para os pais que não estava feliz. O tempo passou e Paula também não conseguiu um emprego. Foi então que os pais perguntaram se ela não gostaria de voltar a estudar e tentar algo diferente.

Ela pesquisou bastante e encontrou um curso no Senac diferente de tudo que já tinha pensado e agora, apaixonada pela hotelaria, a jovem pretende fazer graduação no ramo com foco em Gestão de Oferta (Revenue Management).

Com toda essa reviravolta, orgulhar a família ainda é uma das preocupações da competidora. “Meu pai sempre se preocupou bastante com a nossa educação”, conta. Ela mora com a irmã mais velha na capital para ficar mais perto dos treinamentos, mas visita os pais em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, no tempo livre.

Entre os treinamentos, Paula também divide o tempo para dar atenção ao sobrinho de 2 anos e manter os passos de dança em dia. A jovem faz parte de um grupo de dança K-pop, gênero musical coreano, e participa de competições de dança.

Relacionadas

Leia mais

Entre os treinamentos, competidor estuda inglês para representar Brasil na WorldSkills
De tijolinho por tijolinho, competidor brasileiro construiu seu caminho para Rússia
O apetite pelo desafio move Bianca a ir mais longe

Comentários