Indústria têxtil aumenta a produção de artigos usados no combate ao coronavírus

Setor têxtil e de confecções se reposiciona para atender à demanda de produtos como máscaras e aventais
Prioridade é a confecção de produtos mais procurados para o combate ao coronavírus, como máscaras e aventais

Neste momento de combate ao novo coronavírus, fábricas do setor têxtil e de confecções estão se organizando para produzir, em caráter de urgência, produtos com alta demanda como máscaras, aventais e abrigos, fundamentais para os profissionais da saúde e toda a população.

“Nesse sentido, nossa indústria, buscando superar os desafios presentes, está trabalhando, nos locais onde as fábricas podem funcionar, para converter o processo de fabricação à produção de máscaras, aventais, abrigos e outros produtos, muitos dos quais vinham sendo importados, para atender às necessidades prementes geradas pela pandemia do novo coronavírus”, explica o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Valente Pimentel.

A Abit informa que trabalha com sindicatos e lideranças locais, dada a capilaridade geográfica das fábricas, para fazer o reposicionamento da produção na maior rapidez possível, para atender a uma demanda urgente do país,

“Com esta ação, estamos procurando oferecer aos médicos e profissionais de saúde materiais importantes para o trabalho e proteção na luta contra a covid-19, bem como à sociedade como um todo”, diz Pimentel.

Mas a conversão da linha de produção depende das características das fábricas, da disponibilidade de matéria-prima que atenda às especificações técnicas, da possibilidade das fábricas poderem trabalhar face a restrições existentes em estados e municípios, bem como da logística e mobilidade possíveis no contexto das medidas restritivas de circulação que vêm sendo adotadas.

Pimentel lembra que a indústria têxtil e de confecção está bem estruturada em termos de recursos humanos, parque produtivo e know how para dar essa resposta ao país. “São cerca de 28 mil empresas, que empregam formalmente 1,5 milhão de pessoas, mobilizadas na guerra contra a pandemia”, finaliza o presidente da Abit.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Conheça as ações do setor têxtil no combate ao coronavírus
VÍDEO: Indústria de produtos para os pets continua ativa
Gerdau fornecerá aço para construção de 100 novos leitos hospitalares em São Paulo

Comentários