Seis artistas e curadores premiados que você precisa conhecer

Inscrições chegaram próximas a 600, com cinco artistas plásticos e dois curadores premiados

Em abril de 2015, artistas plásticos e curadores de várias regiões do Brasil foram reconhecidos com o Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas. Uma premiação baseada na trajetória do artista. De quase 600 inscrições, cinco artistas plásticos e dois curadores foram premiados pelos trabalhos realizados em diferentes formatos como vídeos, objetos, instalações e fotografias.

Uma exposição itinerante com essas obras começou a circular pelo Brasil neste mês de janeiro. A primeira parada é o Palácio das Artes, em Belo Horizonte. E agora você também pode conhecer um pouco mais sobre os premiados. Depois de assistir aos vídeos, vai entender porque esse seleto grupo alcançou o reconhecimento nacional. Confira abaixo:

BERNA REALE
Realizadora de instalações e performances, estudou arte na Universidade Federal do Pará, e participou de diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e na Europa. A violência tem sido, nos últimos anos, seu grande foco de atenção. Suas performances são pensadas com o objetivo de criar um ruído provocador de reflexão.

DIVINO SOBRAL
Trabalha com diversas linguagens, suportes e materiais. Pesquisa a formação das memórias individual e coletiva, a amnésia, a passagem da lembrança ao esquecimento. Natural de Goiânia, Divino é vencedor na categoria curador.

GÊ ORTHOF
Nasceu em Petrópolis (RJ), mas aos seis meses de idade mudou para Brasília, onde vive até hoje. Gê, como se apresenta, trabalha com instalação, perfomance, desenho, vídeo e foto. Ao utilizar miniaturas, Gê quer provocar a aproximação do público com as obras.

VIRGÍNIA DE MEDEIROS
O trabalho da artista converge de estratégias documentais, para ir além do testemunho, questionando os limites entre realidade e ficção. Ela atua na área de arte e tecnologia com ênfase em vídeo-instalação e audiovisual, sempre buscando convergir linguagens das artes e das mídias. Virgínia de Medeiros nasceu em Feira de Santana (BA). Atualmente vive e trabalha em São Paulo.

GRUPO EMPREZA
Fundado em 2001, inicialmente como grupo de estudo e pesquisa em performance arte, o grupo possui um vasto repertório de ações performáticas, happenings e produções audiovisuais e fotográficas. Baseado no Centro-Oeste do Brasil, o grupo tem integrantes espalhados, em sua maioria, pelo estado de Goiás e em Brasília.

RAPHAEL FONSECA

Doutorando em História e Crítica da Arte pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), é mestre em História da Arte pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Parte do corpo editorial das revistas ArtNexus, Dasartes e Performatus, Raphael também é curador de exposições de arte contemporânea e de mostras de cinema. Venceu o Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas na categoria curador.

Relacionadas

Leia mais

Youtuber Jout Jout fala sobre profissões técnicas em novo vídeo
Belo Horizonte recebe mostra com obras selecionadas do Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Interação entre indústrias e universidades beneficia um país

Comentários