Inovação a portas abertas

Em artigo publicado na Revista da Indústria Brasileira, André Clark, General Manager da Siemens Energy, destaca que os efeitos do aquecimento global podem ser irreversíveis se não houver mudanças urgentemente

Há alguns dias, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas divulgou dados preocupantes. As temperaturas em todo o mundo subiram mais rápido do que o previsto, aceleradas pela interferência humana. O estudo aponta que os efeitos do aquecimento global podem ser irreversíveis se não fizermos mudanças urgentemente.

O desafio está posto e para reverter esse quadro precisaremos de muita inovação conjunta. A humanidade ainda não dispõe da tecnologia para atingir essa meta, mas o lado positivo é que a maioria dos países e das empresas está imbuída desse espírito de mudança e cooperação.

A inovação é o fator crítico de sucesso mais importante para as empresas e, embora ainda tenhamos desafios relacionados à urgência de reformas estruturantes, dispomos de um ambiente propício à inovação no país. Contamos com um conjunto de benefícios que ajudam a estimular esse tópico nas empresas, como a Lei do Bem, além de estruturas como a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Emprapii). No entanto, a disputa é acirrada, já que outras grandes nações competem por recursos destinados a projetos de inovação.

Por isso é tão importante apostarmos no conceito de “inovar em fazer inovação”. Em um cenário de constantes transformações e demandas por tecnologias cada vez mais específicas, não é mais cabível criar a portas fechadas. A cooperação é a chave para a construção de modelos inovadores de transformação energética e, para promover as mudanças necessárias para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis da ONU, a colaboração de diferentes atores a nível nacional e global é imperiosa.

Na Siemens Energy, o objetivo estratégico é inovar em cocriação com nossos clientes, por meio de ecossistemas nos quais os parceiros estejam inseridos no processo de pesquisa e desenvolvimento de novas soluções.

Cientes de que a inovação aberta é o caminho a ser trilhado, criamos globalmente a estrutura Siemens Energy Ventures, por meio da qual investimos em parcerias com empresas e startups de diferentes portes, desenvolvendo novos produtos, serviços e modelos de negócios inovadores.

A Siemens Energy, nascida há menos de um ano com o objetivo de atender especificamente aos mercados de energia, já foi criada sob o signo da descarbonização. Nossos esforços são direcionados para a transição energética e para contribuir com a redução das emissões de carbono na atmosfera. Contudo, não é nossa intenção fazermos isso sozinhos. Ainda que o desafio da humanidade diante das mudanças climáticas seja gigantesco, temos motivos para reforçar um otimismo de que, em ritmo de colaboração, conseguiremos superá-lo.

*André Clark é o General Manager da Siemens Energy.

O artigo foi publicado na edição de agosto da Revista Indústria Brasileira

REPRODUÇÃO DO ARTIGO - Os artigos publicados pela Agência de Notícias da Indústria têm entre 4 e 5 mil caracteres e podem ser reproduzidos na íntegra ou parcialmente, desde que a fonte seja citada. Possíveis alterações para veiculação devem ser consultadas, previamente, pelo e-mail [email protected] As opiniões aqui veiculadas são de responsabilidade do autor. 

Relacionadas

Leia mais

Conselho leva ao BRICS cooperação com sustentabilidade e preocupações com desigualdade
Condefesa debate ecossistemas de inovação
Propostas de comércio, inovação e sustentabilidade para o G20 são apresentadas ao setor privado

Comentários