CNI defende Ministério da Indústria forte e independente

Para a entidade, é imprescindível que o Brasil tenha um ministério forte para elaborar, executar e coordenar as políticas públicas para o setor industrial, e monitorar seus impactos
A proposta de uma extinção do MDIC preocupa o setor industrial

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) defende que o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) seja forte e independente. A entidade de posiciona contra a sua incorporação por um eventual Ministério da Economia.

A proposta de uma extinção do MDIC preocupa o setor industrial. “Para a indústria brasileira, o próximo governo tem o desafio de colocar o Brasil de volta no caminho do desenvolvimento econômico e social. Precisamos avançar nas reformas, garantir investimentos em infraestrutura e desburocratizar a economia de modo geral”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

No entanto, segundo ele, é imprescindível que o Brasil tenha um ministério forte para elaborar, executar e coordenar as políticas públicas para o setor industrial, e monitorar seus impactos.

“A indústria não pode estar ligada a uma área que tem como prioridades o aumento de receitas e a redução de despesas. Os ministérios da Fazenda e do Planejamento desempenham papéis  específicos. Quem vai defender as políticas industriais?”, questiona o presidente da CNI.

Robson Andrade destaca ainda o papel fundamental da indústria para o desenvolvimento econômico e social do país. Ele ressalta que que indústria contribui com R$ 1,2 trilhão para a economia brasileira e emprega 9,6 milhões de trabalhadores brasileiros, com os melhores salários. O setor industrial também responde por 51% das exportações, 68% do investimento em pesquisa e desenvolvimento do setor privado, 32% da arrecadação de tributos federais e 25% da arrecadação previdenciária. Na indústria, cada R$ 1,00 produzido gera outros R$ 2,32 para a economia. Na agricultura, esse um real gera R$ 1,67 e, no setor de serviços, R$ 1,51.

Relacionadas

Leia mais

Não precisamos de um czar na economia, diz presidente da CNI em entrevista ao jornal Valor Econômico
CNI defende abertura comercial por meio de agenda ambiciosa de acordos
Edital de Inovação para a Indústria investiu mais de R$ 545 milhões em mil projetos inovadores

Comentários