Futuro da floresta é tema de reunião do Conselho de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CNI

Encontro em Rio Branco (AC) debateu caminhos para conservação da Região Amazônica com geração de emprego e renda
Encontro, que contou com 20 representantes de federações de indústria e da CNI, marcou o aniversário de 30 anos da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC)

Como parte do calendário de comemorações de seu aniversário de 30 anos, a Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC) sediou, na última sexta-feira (3), a 106ª Reunião Nacional do Conselho Temático de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Coemas) da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para a presidente em exercício da FIEAC, Adelaide de Fátima Oliveira, sediar um evento desta magnitude é um marco na história da instituição. “É uma alegria imensa e um prazer receber os conselheiros de 20 federações do nosso país, e essa pauta discutida hoje vem ao encontro de tudo o que fazemos no Acre, que é viver a floresta de forma industrializada, conservando e gerando emprego em renda”, comemorou.

De acordo com o secretário-executivo do Coemas da CNI, Shelley de Souza Carneiro, o Acre, que recebe uma reunião nacional pela quarta vez, sempre desenvolve projetos relevantes e atuais. “Muitas vezes se discute em Brasília projetos que partiram do Acre, dando amplitude nacional a essas iniciativas. A reunião de hoje traz o futuro e muitas ideias do que será o desenvolvimento. Temos um mundo hoje tecnológico, que depende do computador, da comunicação, da negociação, do mundo mais participativo, e é isso que queremos discutir aqui”, resumiu.

O evento também contou com a participação do senador e engenheiro florestal Jorge Viana (PT/AC), que destacou as consequências das mudanças climáticas no planeta e seus efeitos na Amazônia. “Isso vai custar muito caro e, por isso, é essencial que haja uma consciência de que temos que mudar o modelo de produção e consumo. Ter essa reunião aqui, da área ambiental da CNI, é muito importante. A FIEAC está sediando um grande evento e espero que haja um despertar em toda a sociedade, pois temos que trabalhar juntos para impedir que a mudança do clima, que já acontecendo, não passe de dois graus. Para isso, todos têm um papel a cumprir”, destacou.

Na ocasião, a assessoria do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre lançou o Boletim Informativo da Produção Florestal Madeireira, uma publicação anual de dados relevantes sobre a produção madeireira, a fim de nortear a tomada de decisões dos empresários. Ao longo do dia, houve debates sobre perspectivas para a exploração madeireira e desafios na promoção do uso das florestas nativas no Brasil, além de cenário futuro da implementação da política florestal e atualização do Plano de Implantação do Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor).

Relacionadas

Leia mais

Segurança hídrica foi tema de reunião do Conselho de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CNI
Indústria apresenta propostas para assegurar sustentabilidade do sistema de saúde suplementar
REPORTAGEM ESPECIAL: Economia circular traz oportunidades para avanço da agenda da sustentabilidade no Brasil

Comentários