SENAI vai confeccionar 1 milhão de máscaras em Mato Grosso

A instituição mobilizou ex-alunos de cursos de corte e costura e iniciou a produção das máscaras descartáveis que serão destinadas a profissionais de saúde
O SENAI vai confeccionar 1 milhão de máscaras por mês para profissionais de saúde de Mato Grosso

Cerca de duzentos profissionais de costura vão se revezar em três turnos para produzir pelos menos 1 milhão de máscaras por mês, produtos essenciais para enfrentar a pandemia causada pelo novo coronavírus.

O pedido foi feito pelo governo do estado à Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT), que por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) já começou os trabalhos. Também serão doados 1 mil protetores faciais de acetato pela entidade para uso dos profissionais de saúde.

A instituição mobilizou ex-alunos de cursos de corte e costura, que foram contratados pelo executivo estadual, e iniciou a produção das máscaras descartáveis que serão destinadas a profissionais de saúde. O material utilizado é o TNT que antes de ser entregue passa por um processo de esterilização.

“Montamos essa fábrica em tempo recorde para contribuir com o governo e com a saúde de todos. A maioria dessas pessoas que está participando da produção foi qualificada anteriormente pelo SENAI e agora está desempenhando um papel importantíssimo. Junto com a indústria, Mato Grosso vai vencer essa batalha”, disse o presidente da FIEMT, Gustavo de Oliveira.

Para baratear os custos para o governo do estado e atender com agilidade a demanda estadual, a instituição colocou à disposição toda estrutura física além de equipamentos para confecção das máscaras. Máquinas de costuras industriais foram realocadas de unidades do interior do estado para a sede da instituição na capital. No total são utilizados 100 equipamentos.

Em contrapartida, o governo do estado disponibiliza os insumos necessários para confecção, além de custear as despesas de mão-de-obra. Por meio do SENAI, cada máscara terá o custo de R$ 0,90 – são R$ 0,35 centavos a menos por unidade em comparação ao cobrado no mercado. No total, a economia será de R$ 350 mil para o governo estadual por mês.

O salão de eventos do SENAI de Cuiabá se transformou em um espaço de produção industrial

“Isso deixa dinheiro no estado e é uma iniciativa que poderá ser replicada em outras cidades para que tenhamos sucesso na estratégia de combate a propagação dessa doença. O SENAI transformou essa unidade em uma grande linha de produção. Serão produzidas 1 milhão de máscaras por mês até quando tivermos demanda. As primeiras 500 mil serão distribuídas para os hospitais municipais parceiros da rede estadual de combate ao Covid-19. Todo trabalho que estamos fazendo é para que tenhamos 100% dos EPIS para os profissionais de saúde”, garantiu o governador Mauro Mendes.

O salão de eventos do SENAI de Cuiabá se transformou em um espaço de produção industrial. Respeitando as medidas seguras para o trabalho durante a pandemia, os profissionais têm capacidade para produzir cerca de 30 mil máscaras por dia.

 “O SENAI mais uma vez exerce um protagonismo em função de todos. Quero agradecer o esforço que estão fazendo neste momento tão importante em fornecer os protetores faciais, fabricar as máscaras e realizar a manutenção dos respiradores, que são itens essenciais nesse momento. Só temos a agradecer e reconhecer mais uma vez todo o excelente trabalho que a instituição faz por Mato Grosso”, destacou o secretário estadual de saúde, Gilberto Figueiredo.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias

Relacionadas

Leia mais

Série de vídeos do SESI traz orientações de saúde e segurança durante a pandemia
VÍDEO: A indústria contra o coronavírus - case SENAI e Ministério da Defesa
SESI envia livros digitais para crianças lerem durante isolamento

Comentários