SENAI finalizou o conserto de 17 ventiladores pulmonares no Distrito Federal

Cada ventilador pulmonar passa por limpeza e desinfecção, diagnóstico, identificação de falhas, manutenção, testes de funcionamento e por calibrações, que certificam se o equipamento hospitalar está apto para o uso
O aparelho é responsável por desempenhar a função do sistema respiratório de uma pessoa quando ela não o consegue fazer

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Distrito Federal finalizou o reparo de 17 ventiladores pulmonares por meio do acordo de cooperação técnica entre a instituição, a Secretaria de Saúde e o Instituto de Gestão Estratégia de Saúde (Iges/DF). Cinco já foram encaminhados ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran), que é referência no tratamento da covid-19, e um ao Hospital Regional de Taguatinga.

Enquanto isso, quatro estão prontos para voltarem a uso e outros quatro estão em fase de calibração. Além destes, três foram recolhidos pela Secretaria de Saúde no fim de abril.

Popularmente conhecidos como respiradores, os aparelhos são responsáveis por desempenhar a função do sistema respiratório de uma pessoa quando ela não o consegue fazer.

Cada ventilador pulmonar passa por limpeza e desinfecção, diagnóstico, identificação de falhas, manutenção, testes de funcionamento e por calibrações, que certificam se o equipamento hospitalar está apto para o uso.

As calibrações são feitas pela empresa parceira TecSaúde. O processo é a simulação de funcionamento da máquina em um paciente, com a verificação dos comandos e dos requisitos do sistema para garantir condições de funcionamento adequadas para um atendimento seguro.

Essa primeira calibração é feita pelo padrão de analisador de fluxo, um dispositivo que mede o volume de ar que a máquina leva aos pulmões, a frequência respiratória, a pressão inspiratória e a concentração de oxigênio. A outra calibração é a de segurança elétrica, que checa a corrente de energia do ventilador pulmonar.

Até o dia 15 de maio, o SENAI/DF recebeu 66 ventiladores pulmonares com defeitos

Para o presidente do Conselho Regional do SENAI/DF e da Federação das Indústrias do Distrito Federal (FIBRA), Jamal Jorge Bittar, a sensação de ver os ventiladores voltando a funcionar é gratificante.

“Uma equipe de instrutores extremamente competente está se dedicando ao trabalho de colocar estes aparelhos em funcionamento novamente. Cada ventilador que eles consertam significa a garantia de que ao menos dez pessoas terão a chance de ser tratadas e de se recuperarem durante a crise de saúde. É um trabalho que salva vidas”, afirma Bittar.

Estão envolvidos na ação 11 instrutores do SENAI das áreas de Eletrotécnica, Eletrônica, Engenharia Elétrica, Engenharia Biomédica, Segurança do Trabalho e Engenharia Mecânica.

Há também a colaboração de um professor do curso Técnico em Equipamentos Biomédicos do Instituto Federal de Brasília (IFB), de um professor de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília (UnB) e de dois técnicos de Engenharia de Manutenção da concessionária de Brasília da Mercedes-Benz, além do Sindicato das Indústrias Fabricantes e de Reparação e Manutenção de Máquinas, Aparelhos e Equipamentos Industriais, Elétricos e Eletrônicos (Sindeletro/DF) e da parceria com o movimento Brasília Maior que a Covid-19.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

VÍDEO: A gente acredita no poder da inovação - Conheça o Caninga
SENAI de Alagoas devolve respiradores mecânicos para Hospital Universitário
FIRJAN une indústria e rede de saúde na recuperação de equipamentos hospitalares

Comentários