Empresa capixaba fornecerá aparelhos respiratórios ao governo do Espírito Santo

Por meio da Federação das Indústrias do Espírito Santo (FINDES), a empresa auxiliará no combate a covid-19 com 100 aparelhos
A Vent Logos vai doar 100 aparelhos respiratórios

A empresa capixaba Vent Logos é especializada em aparelhos respiratórios (ventiladores pulmonares) e irá fornecer ao governo do Espírito Santo 100 unidades iniciais, para atender aos pacientes vítimas do coronavírus durante o transporte de casa até o hospital.

A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) e o Movimento Capixaba pela Inovação (MCI) fizeram a ponte para esta aquisição diante da necessidade de mais aparelhos respiratórios nas unidades semi-intensivas dos hospitais públicos.

“A Findes está organizando o envolvimento de empresas de Metalmecanica e plástico para ampliar a capacidade da Vent Logos na produção de ventiladores, para atender a demanda do ES e de outros estados”, destaca o vice presidente do MCI, Luciano Raizer.

Você conhece este ventilador?

O ventilador pulmonar mecânico, não precisa de energia elétrica. É considerado simples, eficaz, de fácil uso, baixo custo, e já se encontra em uso em vários hospitais, homologado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

É um produto consolidado, de uma empresa capixaba criada por médicos, que há 30 anos vem desenvolvendo e aprimorando essa tecnologia de ventilação.

“O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) poderá entrar com um projeto no edital de emergência de inovação para apoiar a empresa com recursos para ampliar sua capacidade de produção”, complementa Raizer.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Combate ao coronavírus: FIEPI doa impressoras 3D para produção de máscaras
Centro de Exposição da FIERGS pode ser transformado em hospital de campanha
VÍDEO: A indústria contra o coronavírus - case Ambev

Comentários