Voluntários do Sistema Indústria constroem praça em Planaltina de Goiás

Novo espaço foi organizado em conjunto com moradores da comunidade no último sábado (3). O objetivo é criar um ambiente para as pessoas estarem mais próximas umas das outras
A estrutura da praça foi planejada por moradores da própria comunidade, que também participaram ativamente da ação

Em Planaltina de Goiás (GO), município de 88 mil habitantes a 60 quilômetros de Brasília, um terreno abandonado onde havia mato e lixo no bairro de São José deu lugar a uma praça com bancos coloridos, horta comunitária, academia de ginástica a céu aberto e parquinho infantil. Na ação Mão na Massa, realizada no último sábado (3), cerca de cem voluntários do Sistema Indústria (CNI, SESI, SENAI e IEL) em conjunto com pessoas da própria comunidade construíram, em cerca de dez horas de trabalho, o novo espaço de 134m² que permitirá a moradores terem mais proximidade uns com os outros. “Essa foi a porta para a união da comunidade. Nunca vi o povo assim, trabalhando junto por algo comum”, disse a moradora Lidiane do Carmo Falcão.

A estrutura da praça foi planejada por moradores da própria comunidade em dinâmicas baseadas na metodologia adaptada do Jogo Oasis, do Instituto Elos. O método envolveu desde a mobilização da população local e passeios pela comunidade para identificar potenciais locais, talentos e sonhos coletivos para melhorar a região. Ao fim, moradores, em conjunto com voluntários, construíram maquetes e escolheram o projeto mais conciliador de todos.

Conheça a metodologia do Jogo Oasis:

Para a construção do espaço, a CNI doou a estrutura pré-montada do parquinho e materiais como tinta, areia, cimento e brita e outros parceiros doaram plantas. A prefeitura de Planaltina de Goiás, além doar pneus, limpou o terreno um dia antes da ação. Para aqueles que disponibilizaram tempo e talentos para esse mutirão de solidariedade, a recompensa veio desde ver a alegria no rosto dos moradores da comunidade até a descoberta de novos talentos. “Estou trabalhando com esta comunidade desde 2010 e vejo o quanto a população evoluiu e se envolve mais em trabalhar conjuntamente em prol do coletivo”, destacou Lúcia Souto, funcionária da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e uma das idealizadoras da iniciativa de voluntariado em Planaltina de Goiás.

ILUMINAÇÃO – Voluntários da organização não-governamental (ONG) Litro de Luz, que leva energia elétrica por meio de tecnologia simples, econômica e ambientalmente sustentável, instalaram seis postes de luz na praça com a ajuda de 40 moradores da comunidade, que receberam a capacitação necessária. Cada poste, que tem custo de R$ 200 a R$ 250, contém uma pequena placa solar, bateria de moto, lâmpada LED, garrafa PET e PVC. “Realizar esse trabalho ajuda a comunidade a conhecer suas próprias capacidades e a se desenvolver por ela mesma. Não levamos só iluminação, mas luz”, declarou Artur Rodrigues, representante de Operações e Tecnologia da Litro de Luz.

O ex-aluno do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) Jônatas Ferreira, que foi medalhista de ouro na Olimpíada do Conhecimento em 2016, estava entre os voluntários da ONG que participaram a instalação de postes. Ele se envolveu com o trabalho voluntário quando a Litro de Luz realizou uma capacitação na comunidade de Sol Nascente (DF), onde vive. “Sou grato por poder ajudar outra localidade que precisa de apoio, pois um dia a população do lugar onde vivo recebeu ajuda”, disse Ferreira, que acordou às 4h40 da manhã para chegar às 9h em Planaltina de Goiás.

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – A iniciativa integra o projeto Novo Olhar, do Sistema Voluntário do Sistema Indústria, que pretende apoiar instituições sem fins lucrativos. Por meio desse programa, voluntários fazem levantamento de demandas da população e desenvolvem ações para suprir as principais necessidades da comunidade. Desde agosto de 2016, o programa tem parceria com o Posto de Assistência Irmã Dulce, localizado no bairro de São José de Planaltina de Goiás. De lá para cá, foram realizadas 11 ações voluntárias, que envolveram 174 voluntários e beneficiaram 200 pessoas da comunidade.

De acordo com o diretor de Serviços Corporativos do Sistema Indústria, Fernando Trivellato, o programa de voluntariado está integrado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), que contém 17 objetivos e 169 metas nas áreas econômica, social, ambiental e de governança a serem atingidos até 2030. A ação Mão na Massa está em consonância com o ODS 11, de tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. 

“Os funcionários e convidados do Sistema Indústria contribuíram efetivamente para o sonho de uma comunidade de ter um espaço onde possam conviver, compartilhar e construir um senso de pertencimento”, destacou Trivellato. “Isso contribui para elevar a autoestima da população e cria o sentimento de se cuidar do lugar onde mora.”

SISTEMA VOLUNTÁRIO – O Sistema Voluntário é o programa de voluntariado corporativo do Sistema Indústria, que é integrado pela CNI, pelo Serviço Social da Indústria (SESI), pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), pelo  Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e federações de indústrias. Em quase três anos, beneficiou dez instituições e 4.036 pessoas. Os voluntários doaram mais de 1.737 horas em ações que foram desde doação de sangue, alimentos, agasalhos e brinquedos até projetos educativos e arquitetônicos. O programa está presente nas entidades nacionais do Sistema Indústria em Brasília e em São Paulo e nas federações de indústria no Paraná e na Bahia. Podem participar do programa funcionários, profissionais de empresas terceirizadas e convidados.

“O voluntariado é uma forma de desenvolver competências organizacionais dos colaboradores ao mesmo tempo em que se contribui com causas de interesse social”, ressaltou o superintendente de Desenvolvimento Humano da CNI, Renato Paiva.

Relacionadas

Leia mais

Mapa Estratégico da Indústria aponta caminhos para o Brasil crescer, inovar e criar empregos
SENAI é reconhecido pelo Google como referência no uso de tecnologias educacionais
VÍDEO: Estreia  segunda temporada do programa Turma da Robótica, no Canal Futura

Comentários