Clóvis Rossi exerceu, com maestria, o ofício da reportagem

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) expressa profundo pesar pelo falecimento do jornalista Clóvis Rossi, que em reportagens, mostrou realidades políticas e sociais muitas vezes desconhecidas dos leitores
Clóvis Rossi era decano da Redação da Folha de São Paulo - Foto: Eduardo Knapp/Folhapress

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) lamenta profundamente o falecimento de Clóvis Rossi, um dos mais destacados jornalistas brasileiros, aos 76 anos, em São Paulo.

Ao longo de mais de cinco décadas de carreira, Rossi exerceu com maestria ímpar o ofício da reportagem, pelo qual foi um apaixonado. Suas reportagens, no Brasil e em diversos países onde foi correspondente ou enviado especial, descortinavam realidades políticas e sociais muitas vezes desconhecidas de seus leitores. 

Como colunista de assuntos internacionais, de política e economia na Folha de S.Paulo, analisou, sempre de maneira profunda, elegante e precisa, os rumos do Brasil e sua inserção no mundo, especialmente no período inaugurado com a redemocratização dos anos 1980.

Entre os prêmios que obteve, distingue-se o Maria Moors Cabot, conferido pela Universidade Columbia, pela contribuição significativa à liberdade de imprensa. Foi mais uma demonstração de sua importância para a consolidação de uma imprensa livre, crítica e democrática no Brasil. 

Neste momento de pesar, os pensamentos daqueles que fazem a indústria brasileira se voltam para a família e os amigos de Clóvis Rossi, assim como para todos os funcionários do Grupo Folha, na intenção de que encontrem conforto no legado desse ícone do jornalismo mundial. 

Robson Braga de Andrade
Presidente da CNI

Relacionadas

Leia mais

Metade das grandes indústrias não consegue realizar investimentos como planejado, mostra pesquisa da CNI
Reforma da previdência deve ser aprovada até outubro, avalia diretor da CNI

Comentários