Congresso de Inovação nos motivará a construir um país mais inovador e competitivo, diz presidente da CNI

Robson Andrade fez o lançamento do 9º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, ao lado do diretor-presidente do Sebrae, Carlos Melles, e do ministro substituto do MCTI, Marcelo Morales

Este congresso é resultado do intenso trabalho e do alinhamento estratégico entre a CNI, o Sebrae, os empresários e as instituições do ecossistema de ciência, tecnologia e inovação no Brasil”, disse Robson Andrade

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, ressaltou a importância da inovação para o avanço econômico e social do país. No discurso de abertura do evento de lançamento do 9º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, nesta quarta-feira (20), ele pontuou o papel estratégico da inovação para o futuro do Brasil.

“Neste cenário de tantos desafios e de muitas incertezas, tenho a convicção de que sairemos daqui motivados para trabalhar pela construção de um país mais inovador, competitivo e capaz de melhorar, continuamente, a qualidade de vida da população”, afirmou Robson Andrade.

Na avaliação do presidente da CNI, a inovação mostrou-se cada vez mais essencial para a consolidação das empresas e para o país se sobressair no cenário competitivo internacional, especialmente no momento de pandemia. “A realização deste Congresso é ainda relevante neste momento em que convivemos com as rápidas transformações trazidas pela quarta revolução industrial, pois o acesso a informações qualificadas, e a interação com profissionais e diferentes atores de áreas estratégicas são fundamentais para o fortalecimento da cultura da inovação”, destacou.

Congresso de Inovação será em março de 2022

O evento de lançamento do 9º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, realizado em parceria pela CNI e o Sebrae, reúne na manhã desta quarta especialistas brasileiros e internacionais. O Congresso, que será em formato híbrido pela primeira vez, está marcado para os dias 9 e 10 de março do ano que vem. Na arena presencial, em São Paulo, serão recebidos convidados do Brasil e do mundo, e, pela plataforma virtual, será possível alcançar um público de mais de 15 mil pessoas.

“Estamos orgulhosos de termos feito deste evento um dos maiores e mais importantes fóruns da América Latina. Isso é resultado do intenso trabalho e do alinhamento estratégico entre a CNI, o Sebrae, os empresários e as instituições do ecossistema de ciência, tecnologia e inovação no Brasil”, disse Robson Andrade.

O diretor-presidente do Sebrae, Carlos Melles, enalteceu a parceria responsável pela realização do maior evento de inovação ao país. Ele observou que a inovação foi a responsável por tornar o Brasil uma potência mundial na agricultura, por meio das tecnologias empregadas no processo de produção. “Fico feliz de sermos agentes dessas instituições e por servir o Brasil, dando uma contribuição tão boa à inovação brasileira”, enfatizou.

Mola propulsora para a competitividade do Brasil

O ministro substituto da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcelo Morales, pontuou que o Congresso de Inovação promovido pela CNI e o Sebrae é uma grande oportunidade para debater formas eficazes de unir cientistas com empresários para que a inovação esteja cada vez mais presente no país.

“A inovação tem revelado ser uma mola propulsora para a competitividade do Brasil, pois promove o desenvolvimento das nações e das organizações”, afirmou Morales. “Criamos a Embraer, prospectamos águas profundas, temos uma agricultura pujante. E tudo isso é graças à ciência e inovação presentes no país”, acrescentou.

Idealizado pela Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), o Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria ocorre a cada dois anos e é uma oportunidade para que líderes da indústria, da academia, do governo e parceiros internacionais se reúnam para debater os principais temas e os desafios do desenvolvimento tecnológico e do aumento da competitividade brasileira.

Relacionadas

Leia mais

Inovação: 5 perguntas para Daniella Ribeiro
80% das indústrias inovaram na pandemia e tiveram aumento de lucro e produtividade

Comentários