Projeto do SESI da Paraíba ganha prêmio Manual do Mundo

Os estudantes conquistaram o segundo lugar na premiação com um suplemento alternativo para prevenção de doenças ósseas feito de casca de ovos
O projeto conquistou o segundo lugar na categoria Manual do Mundo

Um projeto de pesquisa desenvolvido por alunos e professores do Serviço Social da Indústria (SESI) da Paraíba, ficou em 2º lugar na categoria Manual do Mundo, da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) 2020, promovida pela Universidade de São Paulo (USP) e considerada o maior evento científico estudantil do Brasil.

A pesquisa desenvolvida pelos alunos Alice da Silva Barros e Vinícius Gonçalves Almeida, sob a orientação do professor Eduardo Adelino Ferreira, e coorientação de Alexsandra Souza, utiliza o citrato de cálcio presente nas cascas de ovos como suplementação para combater doenças ósseas, e foi realizada para a Mostra de Iniciação Científica-MIC da escola do SESI. 

O trabalho foi um dos três classificados na categoria Manual do Mundo, juntamente com pesquisas de alunos de São Paulo e do Paraná. Como premiação a equipe recebeu troféu e medalhas. Essa modalidade apoia o ensino de ciências nas escolas brasileiras através da premiação de diferentes ideias criadas pelos jovens, futuros cientistas. 

Suplemento alternativo para prevenir doenças ósseas

O projeto "Utilização das cascas de ovos para produção da pasta de citrato de cálcio: suplemento alternativo para prevenção de doenças ósseas” foi feito em várias etapas que incluiu uma pesquisa de campo, onde o público alvo foi as colaboradoras do Centro de Atividades do SESI, João Rique Ferreira, em Campina Grande (PB), que possui um quadro funcional composto 70% por mulheres. 

Inicialmente, foi realizado um levantamento bibliográfico sobre o tema, em seguida aplicou-se um questionário estruturado com 14 itens, com objetivo de sondar os hábitos alimentares das mulheres envolvidas e o perfil socioeconômico delas. 

Após uma análise dos dados, utilizando um referencial teórico e categorizado, foi verificado que entre as mulheres que apresentavam maior incidência de doenças ósseas, elas possuíam baixa ingestão de alimentos ricos em cálcio. A partir da constatação, a equipe criou a pasta de citrato a partir das cascas de ovos de galinha para ser utilizado na suplementação alternativa delas, e ainda realizou palestras para conscientizá-las sobre o consumo e modo de preparo do produto para que as colaboradoras pudessem inserir o citrato de cálcio no cardápio delas.

"Todo esse trabalho é resultante de um projeto maior, que é o Laboratório de Iniciação Científica, uma proposta do SESI Paraíba, onde os alunos já no ensino médio são estimulados a desenvolver projetos de iniciação científica, algo inovador e que tem trazido ganhos para nossos alunos e professores", ressaltou a gerente de Educação Básica do SESI/PB, Alexsandra Souza.

Para onde a inovação vai

O projeto inovador, sustentável e com potencial de aplicabilidade tendo em vista sua biodisponibilidade e absorção, está concorrendo na Mostra Científica da Febrace, que é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista, que todo ano realiza na Universidade de São Paulo uma grande mostra de projetos.

Anualmente, a feira assume um importante papel social incentivando a criatividade e a reflexão em estudantes da educação básica, através do desenvolvimento de projetos com fundamento científico, nas diferentes áreas das ciências e engenharia.

Relacionadas

Leia mais

Estudantes do SESI são premiados em feira científica da USP
Rede voluntária mobilizada pelo SENAI já recebeu 599 respiradores hospitalares para manutenção
FIRST organiza evento de robótica a distância

Comentários