SESI dá dicas para aumentar a concentração no ensino a distância

Manter a rotina parecida com a praticada na escola e estudar em um local tranquilo e sem distrações são algumas sugestões
Especialistas do SESI/PE dão dicas de como aumentar a concentração durante a pandemia

Com a suspensão de aulas presenciais em todo o Brasil devido a pandemia do Covid-19, as instituições de ensino têm adotado a educação a distância para dar continuidade ao processo de aprendizagem das crianças e dos adolescentes. A adaptação às aulas virtuais, no entanto, tem sido um desafio para pais e filhos. Manter a rotina parecida com a praticada na escola e estudar em um local tranquilo e sem distrações são algumas sugestões da psicóloga do Serviço Social da Indústria (SESI) de Pernambuco Kátia Santos, para ajudar a aumentar a concentração e o rendimento nos estudos.

Improvisar um espaço de estudo arejado, com mesa adequada, cadeira confortável, cadernos e lápis; ter uma agenda diária com as tarefas que precisarão ser realizadas e respeitar os horários de dormir e acordar colaboram para o equilíbrio da rotina do aluno.

“Acordar, no mínimo, 40 minutos antes da aula, além de tomar café da manhã e banho ajudam o estudante a entrar no ritmo e manter o foco. Também é importante que o pai fique atento à posição da cadeira e aos vícios posturais do filho, pois a má postura pode provocar tensão no pescoço e causar enxaquecas, dois fatores que tiram a atenção”, sugeriu Kátia. 

Para as crianças mais novas, a psicóloga sugere uma estratégia para distanciar o momento do aprendizado do de descanso: o uso do uniforme escolar. “O uniforme auxilia a criança a internalizar que não está de férias, mas, sim, em um ambiente de aprendizagem”, disse.

Uma tática que deve ser adotada tanto pelos pequenos quanto pelos adolescentes é evitar acompanhar as aulas no sofá ou na cama. “Para quem assiste às aulas no computador, o ideal é desligar o celular, já que em sala de aula não é permitido o uso. É fundamental que o aluno tenha a mesma atitude da sala de aula presencial na virtual”, sugere o professor de física do ensino médio do SESI/PE, Diego Lopes.

De acordo com Lopes, algo que melhora o desempenho do estudante é a interação com o docente. “O aluno deve participar ativamente da aula, questionar, tirar dúvidas. Depois, conferir as videoaulas indicadas pelo professor, fazer as atividades do dia e revisar os conteúdos passados”, acrescentou. Aos pais, cabe demonstrar interesse pelo que o filho está aprendendo.

“Os responsáveis também podem participar da vida escolar do filho verificando se ele está, de fato, assistindo às aulas, acompanhando a realização das tarefas e respeitando o ambiente de estudo, evitando interrupções desnecessárias”, comentou o professor.

Outro ponto eficaz é definir os intervalos das refeições e das pausas para descansar a mente e não comprometer a qualidade do estudo. Segundo Kátia Santos, também é válido estimular momentos de lazer e a prática de atividades físicas.

“Estabelecer horários para pausar, fazer um lanche, ter momentos divertidos com os familiares e praticar esportes se possível trazem ganhos para a saúde mental e física das crianças e dos jovens”, pontuou a psicóloga.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Instrutor do SENAI utiliza série como estratégia para dar aulas
Tempos difíceis, novos esforços
Equipes de robótica do SESI estão entre as finalistas de prêmio mundial de inovação

Comentários