Motivação para competidor trazer o ouro vem da filha e da esposa

Jovem carioca que vai representar o Brasil na WorldSkills em Soldagem pretende fazer outros cursos quando voltar da Rússia. O objetivo é conseguir um bom emprego na área e ter estabilidade financeira
Para dar um futuro estável para a família, Ralph pretende fazer mais cursos para conseguir um bom emprego no ramo de Soldagem

Foi do interior do estado do Rio de Janeiro, Campos de Goytacazes, que saiu o competidor da modalidade de Soldagem da WorldSkills 2019. Ralph Crespo nasceu e passou sua infância nesse município, localizado no norte fluminense, e, incentivado pela irmã mais velha, em 2014, se inscreveu para o curso de aprendizagem de Encanador Industrial, no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) Campos.

Já animado, fazendo seu curso, aos 17 anos, uma surpresa: a namorada de Ralph anunciou uma gravidez inesperada. Mas o que poderia representar algum tipo de empecilho foi, na verdade, o grande estímulo para ele. “Minha grande motivação vem delas, da minha filha e da minha esposa”, diz ele, que, logo depois de concluir o primeiro curso, começou a fazer o de aprendizagem de Soldador de Tubulação.

Com perfil sério e compenetrado, Ralph conta que sempre se destacou pelas notas e era muito incentivado por seus professores. Foram eles que o chamaram para participar da etapa escolar da Olimpíada do Conhecimento. Depois disso, ele conta que fez treinamento para a etapa estadual, foi selecionado, e ficou 11 meses treinando para a etapa nacional, onde venceu de dez outros competidores e começou a treinar para o mundial, que ocorrerá em agosto deste ano, em Kazan, na Rússia.

“Quando comecei, não imaginava que chegaria tão longe, mas conforme eu ia passando pelas etapas e pelos simulados, e atingindo os índices desejados, fui vendo que era possível vencer no nacional, já mirando no mundial”, afirma.

Nos últimos meses, Ralph treinou de 10 a 11 horas por dia. 

Ele ingressou no SENAI após conselhos da irmã mais velha

DE GOYTACAZES PARA O MUNDO - Dentro da etapa de treinamento para a WorldSkills, Ralph fez uma viagem para a Alemanha, onde conheceu a fábrica da Lincoln, que produz boa parte dos maquinários utilizados por ele no trabalho de soldagem. Recém chegado da Alemanha, agora é preparar o coração para a Rússia, onde será realizada a competição.

Além de estar confiante de que conseguirá trazer o ouro de volta para o Brasil, Ralph sabe que sua vida já mudou, e, quando voltar da competição, pretende tentar crescer na carreira, buscando uma vaga de inspetor de soldagem, e sua filha, que completará 4 anos de vida uma semana antes de ele viajar para Kazan, mais uma vez, é a sua grande inspiração: “por causa dela, preciso buscar melhores condições financeiras”, diz ele. “Pretendo arrumar um emprego e continuar estudando, para estar cada vez me qualificando mais”, afirma.

Ele já fala como futuro inspetor de soldagem. “Tenho vontade de fazer curso técnico, técnico-mecânico, curso de inspetor em soldagem. Quero trabalhar com inspeção de solo, como eu já sou soldador, quero algo na minha área. Hoje, no mundo inteiro, em qualquer lugar que você olhar, você ve alguma estrutura de metal, seja de aço, carbono, inox ou alumínio. Eu sou qualificado nessas três ligas, então, tem um leque muito grande de atuação para mim nessa área”, comemora.

Relacionadas

Leia mais

Fã do Legião Urbana, a criativa Gabriele sonha em conhecer o mundo após a WorldSkills 2019
Fazer a diferença é o lema de Cristiano, um dos representantes do Brasil em Robótica Móvel na WorldSkills 2019
Entre o futebol e a programação, jovem escolheu representar o Brasil na WorldSkills

Comentários