Melhor do Brasil em Manutenção de Veículos Pesados, Paulo Vitor se prepara para a WorldSkills 2019

O jovem faz parte da terceira geração de estudantes do SENAI em sua família
Sua maior paixão é montar, desmontar e alterar os veículos para melhorar sua performance

O pai estudou no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Os dois avôs trabalharam com usinagem e com o chamado CNC, controle numérico computorizado, que é um sistema que permite o controle de máquinas, principalmente em tornos mecânicos. Paulo Vitor Fratta, 18 anos, representa, então, a terceira geração da família na indústria. Ele adora carros, mas sua maior paixão é montar, desmontar e alterar os veículos para melhorar sua performance, exatamente o que aprendeu com o pai.

O entusiasmo com os carros levou o jovem aos cursos de Mecânica Automobilística e Manutenção Automotiva, em São Paulo. Dali para o convite para participar de competições de profissões técnicas foi um pulo. Hoje Paulo Vitor prepara-se para participar da WorldSkills 2019, na ocupação Manutenção de Veículos Pesados.

O jovem tem experiência em torneios. Já passou por duas seletivas e foi escolhido o melhor profissional na área de Manutenção Automotiva, numa prática que vem da infância. “Meu pai sempre teve um carro preparado. A gente pega um carro e faz alterações para ele ter uma performance maior”, conta.

Para ele, as competições são uma forma de aumentar ainda mais seu conhecimento. “Eu aprendo mais do que via no curso. Foram dois anos de treino, bem intensos, com muita dificuldade. Mas foi uma experiência incrível, eu nunca imaginei que ia chegar até aqui. Nunca mesmo”, diz. A rotina sempre foi pesada. Até o ano passado, Paulo fazia o ensino técnico de manhã, frequentava as aulas do ensino médio a tarde e treinava a noite.

Em Kazan, ele planeja ser o primeiro brasileiro a subir no pódio na sua categoria. “Estou ansioso para ir para a Rússia. Essa é uma modalidade relativamente nova, de 2015, e nenhum brasileiro ganhou ainda”, explica. Se ganhar, Paulo vai dividir a medalha com o pai, que sempre o ensinou com paixão e muito apoio.

Relacionadas

Leia mais

Em busca do ouro e de uma mistura de culturas e pessoas
Disciplina e conhecimento movem competidor gaúcho que vai para a WorldSkills
Competidor da WorldSkills quer surfar uma boa onda na web

Comentários