Macacão que melhora as articulações. A ideia é dos alunos de Patos, na Paraíba

A roupa criada pelos estudantes para o Festival SESI de Robótica pode ajudar viajantes espaciais a não ficarem com a circulação sanguínea e os ossos tão debilitados
Equipe Legonautas pronta para apresentar o projeto no Torneio SESI de Robótica

Estudantes da escola do Serviço Social da Indústria (SESI) de Patos, na Paraíba, criaram um tipo de macacão que pode ajudar viajantes espaciais a não ficarem com os ossos e a circulação sanguínea debilitados.

Os estudantes são chamados de Legonautas, e fizeram esse projeto como resposta ao desafio feito pelo Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League. Eles estão neste fim de semana, no Rio de Janeiro, no maior Festival de Robótica do Brasil. 

Durante as pesquisas, os alunos descobriram que, quando vão para o espaço, os astronautas acabam perdendo massa óssea e têm problemas na circulação do sangue quando voltam à Terra. A ideia principal é que esse macacão ajude na sustentação dos ossos, por conter um tipo de tecnologia que simula gravidade maior que zero. 

O técnico da Legonautas, professor Daniel Dantas, explica que os integrantes da equipe amadureceram muito quando começaram a trabalhar nas pesquisas, e também estão mais determinados sobre o que querem para o futuro. “Desde o nosso primeiro ano, que nós começamos a ter essa disciplina [robótica] no nosso currículo, a gente percebe que os estudantes que fazem parte da equipe de robótica procuram cursos na área de exatas. Isso ainda os ajuda na escolha da nova profissão”, conta Dantas.

O aluno Diogo Vieira, 16 anos, está no terceiro ano do ensino médio. Essa é a última vez que ele vai participar do Torneio de Robótica. A expectativa é de conseguir garantir um lugar na etapa mundial. “Nesses projetos de pesquisa, a gente faz vários avanços e vai à fundo mesmo. Eu entendi o corpo humano, como funciona, tive curiosidades sobre minha panturrilha. Aprendi sobre astronautas, coisas que você não encontra na sala de aula comumente”, conta o adolescente. 

O TORNEIO - O desafio da temporada, Em Órbita, explora a temática espacial, envolvendo satélites, comunicação, sobrevivência e aspectos psicológicos em que os astronautas estão sujeitos em uma viagem espacial. O objetivo é fazer com que os estudantes ingressem no mundo da ciência e tecnologia de uma forma divertida, a partir da construção e programação de robôs feitos com peças de Lego.

Crianças e jovens de 9 a 16 anos podem participar do Torneio de Robótica FIRST LEGO League. Cada equipe deve ter obrigatoriamente dois treinadores: técnico e mentor; e 2 a 10 competidores. As equipes precisam resolver um conjunto de problemas do mundo real, os mesmos vivenciados por profissionais como cientistas e engenheiros.

REDES SOCIAIS - Acompanhe a cobertura completa do Festival aqui na Agência CNI de Notícias e nos perfis do Torneio no Instagram e Facebook. Todas as fotos estão no Flickr da CNI.

SAIBA MAIS - Quer saber mais sobre robótica? Acesse o site do Festival de Robótica.

FESTIVAL SESI DE ROBÓTICA
Quando: 15 a 17 de março 
Aberto ao público apenas nos dias 16 e 17
Horário de visitação: 16/03 - sábado:
9h às 18h / 17/03 - domingo: 9h às 16h
Onde: Pier Mauá - Rio de Janeiro
ENTRADA GRATUITA

Relacionadas

Leia mais

Veja as equipes que vão participar do Festival SESI de Robótica 2019
Entenda como funcionam as três competições do Festival SESI de Robótica
Festival SESI de Robótica vai reunir 1.200 alunos de escolas públicas e particulares no Rio de Janeiro

Comentários