Diferentes habilidades credenciaram Bruno a representar o Brasil em mundial de profissões

Jovem do Paraná, que vai competir na ocupação Jardinagem e Paisagismo na WorldSkills 2019, fez vários cursos no SENAI. "Conhecimento nunca é demais", conta
O jovem faz parte da equipe da renomada empresa Boulle, fabricante de móveis exclusivos de Curitiba

Sabe quando você escolhe um caminho, mas a vida te mostra que existem outras possibilidades? Foi isso o que aconteceu com Bruno de Souza Magalhães Soares, 21 anos. O jovem tinha muita facilidade em eletrônica quando criança e pensou que seguiria nesse ramo quando entrasse no mercado de trabalho. Entretanto, o destino reservou outras experiências para o ex-aluno do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Paraná.

Agora, após fazer quatro cursos no SENAI – Mecânica, Soldagem, Inspeção de Qualidade e Marcenaria – o paranaense vai representar o Brasil na maior competição de profissões técnicas do mundo, a WorldSkills.

Na disputa, Bruno compõe a dupla que vai disputar o ouro na ocupação Jardinagem e Paisagismo em Kazan, na Rússia. Mas como todos esses outros cursos que ele fez vão ajudar nessa modalidade? Ele explica que quanto mais conhecimento melhor, pois as técnicas de determinada matéria podem complementar as de outro curso.

“Tudo ajuda, por exemplo, do curso de Mecânica eu tenho o domínio em desenhos técnicos e isso ajudou muito meu desempenho na Marcenaria, porque uma das primeiras tarefas é fazer um desenho técnico”, conta Bruno.

Ele lembra que quando começou a fazer o primeiro curso no SENAI, em 2014, conheceu jovens que estavam treinando e ficou bastante empenhado. Todo o foco e disciplina renderam o convite para participar da equipe que representaria o Paraná em Soldagem naquele ano, mas os planos foram interrompidos por falta de recursos.

Bruno vai disputar a ocupação Jardinagem e Paisagismo na próxima edição da WorldSkills em Kazan, na Rússia

Mais tarde, Bruno conheceu a Marcenaria que abriu muitas portas para sua trajetória até hoje e afirma que mesmo não competindo na sua área de formação ele e os colegas estão bastante focados. “Todo mundo aqui quer trazer a medalha de ouro”, conta.

O paranaense é parceiro da empresa Boulle, fabricante de móveis exclusivos, e tem planos de continuar na criação e produção de móveis com a marca quando voltar da Rússia. “Meu plano é viajar o mundo como prototipista dessa empresa. Lá a gente desenvolve móveis baseados nos modelos que vemos quando viajamos para outros países. Eles reconhecem meu trabalho”, explica Bruno, que considera um hobbie as atividades com madeira.  

Relacionadas

Leia mais

Entre os treinamentos, competidor estuda inglês para representar Brasil na WorldSkills
Fazer a diferença é o lema de Cristiano, um dos representantes do Brasil em Robótica Móvel na WorldSkills 2019
Entre o futebol e a programação, jovem escolheu representar o Brasil na WorldSkills

Comentários