Os 20 cursos técnicos mais procurados em 2020

Das 166 mil matrículas em cursos técnicos de nível médio do SENAI, 50,8% são de jovens até 23 anos. Ocupações transversais e da indústria 4.0 são destaque

Técnico em eletrotécnica, que atuou no conserto de respiradores, foi o curso mais procurado em 2020

A formação técnica, de menor duração e mais alinhada ao mercado de trabalho que o ensino superior tradicional, foi a opção de milhares de brasileiros que buscaram se qualificar em 2020. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) registrou 166.786 matrículas em cursos técnicos e 223.133 em cursos de qualificação profissional voltados para as necessidades da indústria, que hoje emprega 9,7 milhões de pessoas - ou 20,4% do total de empregos formais do país. 

Os cursos técnicos têm duração de no mínimo 800 horas, ou 1 ano, podendo chegar a 3 anos; e o aluno deve estar cursando ou ter concluído o ensino médio. Por preparar o indivíduo para o exercício de uma profissão, é muito procurado pelos jovens, de 16 a 23 anos, que representaram 50,8% (84.770) das matrículas em 2020. 

Ainda que o percentual diminua conforme a faixa etária avança, 14.168 pessoas com mais de 41 anos viram no curso técnico a oportunidade de se reinventar ou garantir um emprego em um ano de pandemia. Para garantir a manutenção do calendário, as escolas realizaram a parte teórica dos cursos com Ensino a Distância (EaD), simuladores  2D e 3D e conteúdo multimídia audiovisual.

O SENAI tem 71 cursos em seu portfólio e, na lista dos 20 mais requisitados (veja abaixo), o destaque são as ocupações transversais, formação coringa que permite ao estudante exercer funções em quase todos os segmentos industriais. É o caso dos técnicos em eletrotécnica (1º), em mecânica (3º), segurança do trabalho (7º) e em redes de computadores (15º).

Para se ter uma ideia, com a pandemia e a escassez de ventiladores pulmonares nas redes de saúde públicas e privadas, o SENAI e grandes indústrias direcionaram profissionais das áreas de eletrotécnica, eletrônica, elétrica, mecânica, biomédica e segurança do trabalho para o reparo dos equipamentos.

Cursos técnicos

Profissões ligadas às novas tecnologias

De olho nas tecnologias e nas necessidades da indústria 4.0, os alunos também têm se interessado por cursos como o de automação industrial (4º) e eletroeletrônica (8º). E, entre as tendências que o SENAI identificou nos estudos Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023 e Ocupações do pós Covid-19 com alta demanda em 2020 estão mecatrônica (5º), desenvolvimento de sistemas (9º) e logística (11º).


“Apesar de ter sido um ano atípico, a procura pela formação técnica e por esses cursos mostra que o brasileiro, e o jovem especialmente, sabe que tem um leque maior de atuação ao escolher ocupações consideradas essenciais, ou transversais como chamamos. Mas também temos aqueles que buscam especializar-se e estão de olho nas tendências”, observa o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.


Ele destaca que as 28 áreas da indústria - que variam de alimentos e automotiva a telecomunicações e energia - precisam de profissionais qualificados para lidar com os desafios da revolução tecnológica. De acordo com a última Sondagem Industrial, o setor acumula sete meses consecutivos de alta no emprego. Ao definir o portfólio e o currículo dos cursos, o SENAI avalia essa demanda e as projeções do mercado de trabalho para os próximos anos.

Qualificação Profissional

Diferentemente dos cursos técnicos, os de qualificação profissional são de, no mínimo, 160 horas, e duram, em média, três meses. Voltados para quem busca desenvolver uma competência para o exercício de uma profissão ou para quem deseja se requalificar, exigem uma escolaridade mínima, mas dispensam conhecimento técnico prévio.

Lideram, com o maior número de matrículas, os cursos de assistente administrativo, assistente de controle de qualidade, eletricista industrial, assistente de recursos humanos e operador de computador. Mas a lista abrange habilidades técnicas específicas, como eletricista de redes de distribuição de energia elétrica, inspetor de qualidade e mecânico de motocicletas.

Os jovens continuam sendo o maior público desse tipo de curso: entre as mais de 223 mil matrículas registradas, 39,3% são de pessoas na faixa etária de 16 a 23 anos e 26,1% de 24 a 31 anos. 

Acesse 

Conheça os cursos no Guia de Profissões do Mundo SENAI. No mesmo site, na página do curso técnico escolhido, estão listadas as unidades com matrículas abertas.

Relacionadas

Leia mais

Confira os novos cursos no SENAI em 2021
Covid-19 exige capacitação de inovação e acelera tecnologias da indústria 4.0
Sob risco de ataques hackers, indústria aumenta demanda por profissionais de cibersegurança

Comentários