Campeões mundiais falam sobre juventude, resiliência e profissões técnicas durante a pandemia

Neste Dia Mundial das Habilidades dos Jovens, contamos o que ex-competidores estão fazendo neste período de crise. Além disso, medalhista brasileiro representa as Américas em bate-papo internacional
Leonardo Fonseca Rodrigues representa as Américas em bate-papo da WorldSkills

Já se passou quase um ano desde a 45ª edição da WorldSkills. O Brasil ficou em 3º lugar geral no ranking total de pontos da maior competição de profissões técnicas do mundo, que foi realizada em Kazan, na Rússia, em 2018/2019.

A delegação brasileira conquistou duas medalhas de ouro (Desenho Mecânico em CAD e Manutenção de Veículos Pesados), cinco de prata (Computação em Nuvem, Tecnologia da Moda, Tornearia CNC, Engenharia de Moldes para Polímeros e Cuidados de Saúde e Apoio Social) e seis de bronze (Instalações Elétricas Prediais, Segurança Cibernética, Aplicação de Revestimento Cerâmico, Tecnologia de Laboratório Químico, Mecatrônica e Soldagem).

Além disso, os jovens técnicos também voltaram para o Brasil com 28 certificados de excelência - dados àqueles que ficaram acima da nota média de todos os competidores da ocupação.

Mas o que será que eles estão fazendo atualmente? A maioria dos competidores, que se saíram bem na disputa, decidiram passar esse conhecimento a diante, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), onde hoje são contratados e auxiliam nos treinos dos próximos competidores.

Medalhistas dão aulas e ajudam no combate ao coronavírus

Leonardo Souza, de Desenho Mecânico em CAD, foi o brasileiro com a maior pontuação no mundial, em 2019

O medalhista de ouro em Desenho Mecânico em CAD, Leonardo Souza, por exemplo, é um deles. Assim que retornou ao país, o jovem começou a dar aulas presenciais no SENAI de Araraquara (SP), mas com a chegada do novo coronavírus, ele conta que agora tudo migrou para o ambiente virtual e as aulas são a distância (EaD).

Ele explica que no futuro, pós-pandemia, pretende concluir a faculdade e continuar lecionando no SENAI. “Do mesmo jeito que me prepararam super bem, eu quero fazer isso para passar meu conhecimento e manter o SENAI forte mundialmente”, afirma Leonardo.

Assim como Leonardo, outra ex-competidora que optou por dar aulas no SENAI foi a Gabriella Louise, medalhista de prata na ocupação Tecnologia da Moda. A jovem, além de participar do treinamento de quem vai representar o Brasil na mesma ocupação que ela, participou da produção de máscaras do SENAI de São Paulo no início da pandemia.

“Quando começou o isolamento social houve um revezamento de funcionários. Alguns tiraram férias e outros ficaram na escola para confeccionar esses equipamentos de proteção individual. Produzíamos mais de 3 mil máscaras por dia para doar para hospitais do estado”, conta Gabriella.

Ela também explica que é importante valorizar a participação dos jovens com capacitação técnica, seja em competições ou no mercado de trabalho. Para Gabriella, o Dia Mundial de Habilidades do Jovens – comemorado em 15 de julho – é uma ótima oportunidade para debater sobre a importância da educação técnica.

Gabriella Louise participou da confecção de máscaras do SENAI

“Ter em vista que o período da juventude do ser humano não é só um momento de experiência existencial, é muito mais do que válido. Acredito que a Organização das Nações Unidas (ONU) fez muito bem em instituir esse dia para debater as estratégias de como aproveitar melhor a contribuição dos jovens no mercado e vice versa”, afirma.

WorldSkills promove live no Dia Mundial das Habilidades dos Jovens

Por falar sobre o Dia Mundial das Habilidades dos Jovens, a WorldSkills promoverá um bate-papo, nesta quarta-feira (15), sobre a necessidade de resiliência durante este período que estamos vivendo.

Participarão da rodada de conversa os campeões da maior competição de profissões técnicas de todos os continentes, que vão abordar como a pandemia global os afetou e a seus colegas profissionais qualificados.

Quem vai representar as Américas é o ex-competidor e medalhista de ouro em Joalheria, Leonardo Fonseca Rodrigues, do Brasil. O jovem de 25 anos, atualmente, trabalha na própria empresa de joias e enxergou esse período de crise como uma oportunidade para amadurecer ideias novas sobre a marca que criou em 2015, logo após participar da competição.

Campeão na modalidade Joalheria, Leonardo abriu a própria empresa após competição

Segundo o joalheiro, participar da comemoração desta data na conferência da WorldSkills é uma honra. Ele conta que em seu discurso não vai faltar criatividade, já que foi o que mais utilizou para se reinventar nos últimos meses. Leonardo acredita que a educação técnica pode abrir muitas portas e incentivar as pessoas a correrem atrás do que desejam.

“Acredito que os jovens precisam ter acesso a mais informações, para se conhecerem melhor e identificarem suas paixões. Imaginem quão produtivas as pessoas e o profissionais serão quando trabalharem com o que amam. Imaginem qual seria o resultado das empresas se todos ali estivessem apaixonados pelo que fazem”, explica Leonardo sobre a importância do bate-papo sobre juventude, habilidades e resiliência.

Também participam das discussões Borhene Chakroun, diretor da divisão de Políticas e Sistemas de Aprendizagem ao Longo da Vida da UNESCO, e Chris Humphries, presidente interino da WorldSkills.

O que é o Dia Mundial das Habilidades Juvenis?

O dia designado pela ONU procura gerar maior conscientização e discussão sobre a importância da educação técnica, profissional e treinamento e o desenvolvimento de outras habilidades relevantes para as economias locais e globais. Espera-se que contribua para reduzir o desemprego e o subemprego entre os jovens de todo o mundo. Além disso, a data destaca o desenvolvimento de habilidades para jovens para chamar a atenção para a necessidade crítica de habilidades comercializáveis.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Trabalho do SENAI contra o coronavírus é reconhecido por presidente da WorldSkills
Do sonho à realidade: jovem revela que encontrou no SENAI a receita do sucesso
SENAI, Fiocruz e Diklatex desenvolvem tecido que neutraliza o coronavírus

Comentários