Brasil conquista o 3º lugar geral na WorldSkills 2019, mundial de profissões técnicas

Resultado foi anunciado nesta terça-feira (27), em Kazan, na Rússia. Desde 2007, Brasil está entre os cinco melhores do mundo na competição. Delegação brasileira contou com 63 jovens, 56 deles treinados pelo SENAI
Raissa e Jean comemoram o bronze em Segurança Cibernética

O Brasil fez bonito, mais uma vez, e ficou entre os países com a melhor educação profissional do mundo. A delegação brasileira de 63 jovens conquistou o terceiro lugar no ranking geral de pontos da WorldSkills, a olimpíada mundial de profissões técnicas. A grandiosa cerimônia de entrega de medalhas e encerramento ocorre, nesta terça-feira (27), na Arena Kazan, um dos estádios da Copa do Mundo realizada pela Rússia.

Após quatro dias de provas em 56 modalidades que reproduziram o dia a dia do mercado de trabalho, os brasileiros conquistaram duas medalhas de ouro, cinco de prata, seis de bronze, assim como 28 certificados de excelência, em áreas estratégicas para a indústria do futuro. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), que é a instituição brasileira oficial na competição, treinou 56 jovens e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) foi responsável por outros sete.

Conheça os medalhistas brasileiros da WorldSkills 2019, na Rússia

Nesta edição, 1.354 jovens de 63 países participaram do torneio. A China, que sediará a próxima WorldSkills, em 2021, na cidade de Xangai, veio com força total e ficou em primeiro lugar no ranking de pontos totais. A Rússia, a anfitriã do torneio, abocanhou a segunda posição. A Coreia do Sul ficou em quarto. A delegação brasileira tem se estabelecido entre as equipes mais vitoriosas da competição. Foi a grande campeã quando o evento ocorreu em São Paulo, em 2015, pela primeira vez em um país da América Latina. Na última edição, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, alcançou o segundo lugar.

“O resultado, para o Brasil, demonstra o alto nível de excelência da educação profissional brasileira. Além do número de medalhas, o padrão de qualidade que nós demonstramos, nesta edição, em Kazan, em 73% das ocupações, o Brasil estabeleceu um padrão de excelência. Ou seja, a cada quatro competidores brasileiros, três têm referência da WorldSkills, o que é muito bom, o que nos coloca entre os melhores do mundo”, avalia o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi, que é delegado brasileiro na organização internacional que leva o mesmo nome da competição. 

Segundo Lucchesi, o Brasil, como nação, precisa refletir sobre os resultados da competição e alterar sua matriz educacional para investir mais em educação profissional. Além de sediar a competição mundial, a educação profissional faz parte do projeto do país governado por Vladimir Putin. Neste momento, os russos reformam escolas em suas 85 regiões autônomas para ampliar e fortalecer o ensino técnico.

“Os jovens competidores brasileiros são vencedores, entre outras razões, porque fizeram educação profissional. São exemplos que colocam para nós a importância do ensino técnico, para a inserção do jovem no mercado de trabalho, para o primeiro emprego, para a produtividade do trabalho, para a competitividade da economia e para uma política social mais justa e mais equânime”, explica o diretor-geral do SENAI.

A WorldSkills é o maior torneio de educação profissional do planeta. A cada dois anos, jovens de até 22 anos disputam medalhas de ouro, prata e bronze em um país diferente. Cada ocupação tem provas específicas, nas quais os competidores precisam demonstrar habilidades individuais e coletivas e realizar provas em padrões internacionais de qualidade.

MULTIMÍDIA - Saiba tudo sobre a WorldSkills 2019 aqui na Agência CNI de Notícias, no perfil do SENAI no Facebook, Twitter e Instagram. Todas as fotos estão disponíveis no Flickr da CNI.

Relacionadas

Leia mais

Rússia é uma das favoritas no mundial de profissões, após ser treinada pelo SENAI
Mais de 1,3 bilhão de pessoas têm qualificação abaixo ou acima do exigido pelo mercado de trabalho, aponta estudo
Países fazem reformas para valorizar a educação profissional

Comentários