Alunos de Confeitaria do SENAI aumentam a renda na Páscoa

Curso ajuda estudantes a se reinventar no mercado de trabalho ou começar uma carreira na área de alimentos
Ariani criou a loja Meladinho após vender doces por encomenda e nas ruas durante dois anos

Em apenas cinco anos, o número de pessoas que começou a atuar no ramo alimentício saltou de 98,4 para 501,3 mil pessoas. Um aumento de 510% segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A paulista Ariani Cristine Gallo, 29 anos, é uma delas.

Formada em Confeitaria pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Ariani está com a produção de ovos de páscoa a todo vapor. A paulista começou no ramo em 2007, no início da faculdade, vendendo pão de mel para pagar a faculdade de Marketing. Após concluir a graduação, Ariani colocou os doces de lado para atuar na área de formação, mas em 2017 uma crise no trabalho fez com que ela se reinventasse.

Ouvindo o conselho de parentes e amigos, ela decidiu investir no ramo alimentício novamente para ganhar dinheiro de alguma forma. Buscou se especializar, fazendo vários cursos e entre eles o de Confeitaria no SENAI, que marcou bastante sua trajetória pois nele teve a oportunidade de conhecer o apresentador, chef e empresário norte-americano, Buddy Valastro. Ela explica que adquiriu muito conhecimento nesse encontro e pretende colocar em prática as dicas que recebeu do ídolo. "Eu não quero fazer bolos normais, quero fazer bolos grandes com esculturas, bem diferentes mesmo", destaca Ariani.

Ariani tinha um sonho de abrir um café ou uma confeitaria quando nova, mas deixou de lado por um tempo enquanto cursava marketing

Atualmente, dona da loja Meladinho em São Paulo, a confeiteira já fez participação em programas como Bem da Terra, Melhor da Vida e foi jurada na Batalha dos Confeiteiros. Ela conta, que mesmo com os imprevistos e a grande procura por produtos novos, é apaixonada pelo ramo alimentício e sabe driblar bem a correria dessas épocas festivas. Até sente falta as vezes.

Assim como Ariani, Fabiana Fabre da Silva, 34 anos, também passou por uma reviravolta na vida profissional e optou pelos doces. A paranaense mudou de ramo no mercado de trabalho com o auxílio do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e do SENAI do Paraná. Antes de ser apresentada aos cursos técnicos pelos amigos, ela trabalhava como auxiliar de serviços gerais, mas sempre foi apaixonada pelo ramo alimentício.

Então com muito esforço e dedicação, há três anos e meio, Fabiana se tornou a chef de cozinha da confeitaria FunFit. Agora, ela está concluindo o curso de Panificação no SENAI e destaca a importância de estar sempre se atualizando e buscando conhecimento. "Quanto mais profissionais souberem trabalhar melhor é para o mercado de trabalho. Além das técnicas a gente também aprende a ter um cuidado especial com cada cliente, gerando profissionais bem-sucedidos e satisfação", destaca Fabiana, que mesmo com a correria do trabalho e dos preparativos do feriado, tem planos de fazer outros cursos.

DIVISOR DE ÁGUAS – Colega de profissão das meninas, Rônia Gerlânia de Souza Santana, 36 anos, fez o curso de Confeitaria no SENAI entre 2017 e 2018. A professora de português tem paixão pela culinária desde a juventude, mas só conseguiu se profissionalizar na área recentemente. Ela conta que tudo começou com necessidade de ganhar dinheiro. “Havia acabado de pedir demissão de um emprego ruim e comecei a vender bolo no pote. Quando vi que deu certo, quis aprender mais”, explica Rônia.

“Foi ótimo, o meu pontapé inicial. Aprendi técnicas que não conhecia e comecei a trabalhar nisso com mais segurança” – Rônia Santana

Atualmente, a aluna do curso técnico de Panificação destaca que conheceu o curso de Confeitaria pelas redes sociais e que foi um divisor de águas na época. "Foi ótimo, o meu pontapé inicial. Aprendi técnicas que não conhecia e comecei a trabalhar nisso com mais segurança”, destaca.

Por estar com a rotina apertada, esse ano Rônia não vai investir em ovos de páscoa para vender, mas afirma que no próximo ano pretende começar a comercializar os produtos. “Devido á minha tripla jornada (curso, trabalho e cozinha), achei melhor não anunciar produtos para a Páscoa. Vou apenas fazer ovos para presentear as crianças da família, mas no fim do ano já vou comercializar panetones e pratos festivos”, conta.

FAÇA VOCÊ TAMBÉM - Para saber mais informações sobre os cursos oferecidos pelo SENAI voltados para alimentos, acesse o site Mundo SENAI. Na plataforma é possível verificar quais escolas oferecem os cursos, horários e até a grade curricular. 

Relacionadas

Leia mais

De olho na Páscoa, ex-alunos do SENAI investem em criatividade para ampliar negócios
Especialista em mercado de trabalho destaca alta empregabilidade e bons rendimentos de profissionais formados pelo SENAI
Resultado Concurso Q Chocolate

Comentários