Startup inova com transmissão de resultados de exames por 3G

Com apoio do Edital de Inovação para Indústria, a startup Guepardo Sistemas criou uma tecnologia que permite aos médicos acessarem e avaliarem exames radiológicos a distância, no mesmo dia e com precisão
A Guepardo Sistemas foi incluída na lista de 800 empresas que produzem soluções inovadoras relevantes na área de saúde digital

A falta de médicos no Brasil não é novidade para ninguém e desencadeia vários problemas. Um deles é a falta de profissionais para analisar exames de imagens como radiografias. Tem cidades no interior que ainda enviam e recebem resultados pelos Correios. Dá para imaginar o quanto pode demorar, por exemplo, para saber o resultado de um exame? 

Para resolver esse problema, a startup Guepardo Sistemas desenvolveu um conjunto de programas que reduz a burocracia e transmite o exame ao médico com rapidez, o GLaudos e GProxy Sistema de Telerradiologia.  

Deu certo! Atualmente, a tecnologia é reconhecida por permitir que a saúde pública se beneficie com um processo de transmissão acessível e inovador. Além disso, promove também a evolução da telerradiologia no país, uma das áreas mais importantes da telemedicina, que permite a avaliação remota de diagnóstico por imagem, gerando laudos digitais.

A pesquisa começou em 2015, com o apoio do Edital de Inovação para Indústria - parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) com o Serviço Social da Indústria (SESI) e com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O trabalho de 15 profissionais terminou com um hardware bom e barato para compartilhar exames pela internet 3G - tecnologia de transmissão de dados mais popular no Brasil. Ah, e tudo isso em um aparelhinho do tamanho de um celular, pois segundo o diretor de Inovação e Projetos da startup, Leonardo Costa, "em uma unidade móvel, o espaço vale ouro".

COMO FUNCIONA - O GProxy é um hardware que pode ser instalado no equipamento de Radiologia Computadorizada, que realiza os exames de imagem, em qualquer unidade de saúde. Em seguida, é programado de forma remota. Uma vez conectado, o aparelho disponibiliza as imagens no GLaudos, a plataforma web que os médicos usam para dar os resultados e a equipe de saúde utiliza para controlar os exames. 

Na Bahia, por exemplo, a Guepardo foi contratada pelo Hospital Particular INCAR, em Santo Antônio de Jesus. Os exames de imagem realizados na instituição são enviados pela internet 3G para médicos de outro hospital em Salvador, cadastrados na plataforma. 

Leonardo conta que cada profissional tem acesso apenas ao que lhe cabe. "Todo usuário tem que estar cadastrado e só tem acesso à área que lhe diz respeito. Os médicos recebem os exames, o pessoal da recepção só acessa os laudos e o administrativo a parte de relatório", detalha. 

O equipamento que instalam nas unidades de saúde é do tamanho de um aparelho celular e custa 40% menos que um convencional

Juntos, o GLaudos e o GProxy Sistema de Telerradiologia é 40% mais econômico que um sistema convencional de mercado e, pelo tamanho, pode ser instalado em qualquer lugar - unidades fixas ou móveis. Graças a isso, a Guepardo Sistemas se destacou entre cinco startups brasileiras que atuam em melhorias no sistema de saúde.

“Chegamos a receber um prêmio sem ter tido nenhum faturamento na empresa. Só o dinheiro do Edital de Inovação e alguns investimentos feitos do próprio bolso”, lembra-se Leonardo Costa, um dos três sócios da empresa.

A empresa pediu a patente da inovação e percebe, com naturalidade, que o projeto estimulou os concorrentes a criarem sistemas de tecnologia similar no mercado interno. Para Leonardo, o importante é aperfeiçoar a inovação e adaptá-la para as exportações. “Nesse momento, estamos atualizando o projeto para a legislação de países como França, Portugal e Canadá, todos interessados em adquiri-lo”.

DESENVOLVIMENTO - Nascida da amizade entre três estudantes de Computação do Rio de Janeiro, a Guepardo Sistemas é reconhecida internacionalmente. Em 2017, por exemplo, ela foi incluída na lista de 800 empresas que produziram soluções inovadoras relevantes na área de saúde digital, do instituto alemão Science Service Dr Hempel Digital Health Network.

Além disso, a empresa tem contrato com importantes centros de saúdes, como as unidades móveis e fixas do SESI no estado do Rio de Janeiro. “Com o SESI, fazemos uma parceria que simultaneamente nos ajuda no aperfeiçoamento do nosso produto e no acúmulo do conhecimento, a partir da relação com a central de laudos”, explica Leonardo.

Relacionadas

Leia mais

Inovação é chave para Brasil melhorar produtividade, aponta especialista
Startups geram bons empregos e dinamizam atividade econômica
AWS oferece curso de computação em nuvem para adolescentes do SENAI

Comentários