5 rotas para a região Nordeste economizar com transporte de cargas

O Projeto Nordeste Competitivo, estudo feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com as federações estaduais da indústria, divulgado em 2012, identificou as ações mais urgentes
O trecho da BR-020, entre Barreiras (BA) e Fortaleza (CE), precisa de melhorias

Região com maior taxa de crescimento desde o início do século, o Nordeste assistiu ao crescimento de sua economia sem que a infraestrutura de transportes acompanhasse o ritmo de expansão. Por conta do déficit, a logística da região precisa de melhorias e novas obras para tornar-se mais eficiente, com ganhos de competitividade para a economia regional. O Projeto Nordeste Competitivo, estudo feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com as federações estaduais da indústria, divulgado em 2012, identificou as ações mais urgentes.

De acordo com o trabalho, a conclusão de 83 projetos trariam ganhos significativos para agilizar o fluxo de mercadorias e reduzir custos. Essas obras consolidariam nove grandes rotas para escoar e movimentar a produção do Nordeste, o que tem um custo de R$ 47,8 bilhões por ano. Com R$ 15 bilhões em investimentos até 2020, no entanto, os gastos com o transporte de cargas pode ser reduzido em R$ 3,4 bilhões, ou 7% do total.

Este é o terceiro capítulo da série que a Agência CNI de Notícias divulga com as principais conclusões dos estudos sobre as regiões Norte, Sul, Nordeste e Centro-Oeste. O estudo Sudeste Competitivo, ainda inédito, será divulgado no dia 26 de outubro, em Belo Horizonte. Até lá, acompanhe as principais necessidades do país para o setor de transporte de cargas. Desta vez, confira a região Nordeste:

1. CABOTAGEM
Com oito das nove capitais situadas no litoral, o transporte por via marítima entre esses centros econômicos representa opção estratégia para a movimentação de mercadorias a custos menores que em outros modais.
Investimento: R$ 5,7 bilhões
Economia anual: R$ 1,5 bilhão (valor baseado no volume de cargas estimado para 2020)

2. FERROVIA NOVA TRANSNORDESTINA: DE BALSAS (MA) A SALGUEIRO E PECÉM (CE)
O trecho ligará a Ferrovia Norte-Sul ao porto de Pecém, passando por importantes regiões agrícolas do sul do Piauí e do Maranhão, impulsionando a movimentação de grãos no porto cearense e economia do interior.
Investimento: R$ 5,7 bilhões
Economia anual: R$ 883,9 milhões (2020)

3. FERROVIA DE INTEGRAÇÃO OESTE-LESTE (FIOL): DE ILHÉUS (BA) A BARREIRAS (BA)
Projeto em fase de construção, a rota ligará importante região agrícola próxima ao oeste baiano para a costa do estado. O projeto se torna mais relevante caso projetos de mineração em seu percurso saiam do papel.
Investimento: R$ 9,9 bilhões
Economia anual: R$ 303,9 milhões (2020)

4. BR-020: DE BARREIRAS (BA) A FORTALEZA (CE)
A rodovia liga o Centro-Oeste ao litoral cearense, cruzando região produtora de grãos do oeste da Bahia. A maior parte do trecho está em condições regulares e precisa de melhorias para reduzir custos de transporte.
Investimentos: R$ 3,1 bilhões
Economia anual:  R$ 1,1 bilhão (2020)

5. BR-116: DO SUDESTE A FORTALEZA (CE)
Importante rota pelo interior do Nordeste, a rodovia precisa de melhorias nas condições de rodagem. Pelo eixo, circulam cargas rodoviárias como veículos, alimentos e bebidas, químicos, granéis e bens de consumos.
Investimento: R$ 3,5 bilhões
Economia anual: R$ 961,9 milhões (2020)
 

Download de Arquivos

Sumário executivo Nordeste Competitivo (PDF 2,12 MB)

Relacionadas

Leia mais

Brasileiros estão passando mais tempo no trânsito, aponta pesquisa da CNI
5 rotas para a região Sul economizar com transporte de cargas
CNI convoca empresários a participar de consulta pública sobre Novo Fluxo de Exportação

Comentários