No caminho da inovação e da sustentabilidade

Para a gerente dos Observatórios do Sistema FIEP, Marilia de Souza, a inovação aliada à sustentabilidade pode trazer resultados como a redução de custos e riscos, pela otimização de matéria-prima utilizada, melhoria da imagem institucional perante clientes e agregação de valor ao produto
Marília de Souza

Inovação. Um termo frequente no meio empresarial, tido como já explorado e explicado de diversas maneiras, mas que na prática ainda requer mais esforço em várias dimensões, para que os resultados possam ser alcançados.

As ferramentas, práticas e processos relacionados à inovação, não servem apenas ao sucesso de novos produtos com grande impacto nacional ou mundial. Uma melhoria significativa de um processo produtivo ou de distribuição, um incremento na gestão da empresa ou um novo método de marketing podem ser realizados com esse ferramental, trazendo acréscimo de competitividade e produtividade.

Algumas dimensões da inovação são retratadas como de maior fragilidade, requerendo atitude pró-ativa dos diversos atores envolvidos. Industriais apontam deficiências nos investimentos, na interação da empresa com outras organizações, na pesquisa e desenvolvimento e no uso de métodos de proteção.*

Ainda que existam condições favoráveis para inovar, esse conjunto de esforços não é capaz de suportar isoladamente a manutenção dos negócios no longo prazo por conta dessas deficiências. Com isso, a sustentabilidade de muitos negócios corre riscos se não houver uma mudança neste cenário.

A inovação aliada à sustentabilidade pode trazer resultados como: 

•    redução de custos e riscos, pela otimização de matéria-prima utilizada no processo produtivo e pela diminuição do consumo de recursos;
•    melhoria da imagem institucional perante clientes, colaboradores, fornecedores e a comunidade em geral, ao promover e divulgar as estratégias empresariais alinhadas à sustentabilidade, algo que o consumidor tem prestado cada vez mais atenção;
•    agregação de valor ao produto e fidelização do cliente, com produtos e serviços diferenciados, inovadores e de menor impacto ambiental;
•    fortalecimento de parcerias e relações éticas, valorizando as potencialidades locais e se beneficiando delas.

A adoção de melhores práticas em inovação e sustentabilidade colabora com o processo decisório, permitindo o aumento da competitividade industrial e a construção de um futuro mais sustentável.

*As informações estão nas Bússolas da Inovação e da Sustentabilidade - Paraná 2017, pesquisas realizadas pelos Observatórios do Sistema Federação das Indústrias do Paraná (FIEP) a cada dois anos, que mapeiam o status da inovação e sustentabilidade no setor industrial. Seus resultados serão apresentados no dia 9 de novembro, em Curitiba. O êxito dessas iniciativas também chegou às indústrias do Ceará, por meio do Sistema FIEC.

REPRODUÇÃO DO ARTIGO - Os artigos publicados pela Agência CNI de Notícias têm entre 4 e 5 mil caracteres e podem ser reproduzidos na íntegra ou parcialmente, desde que a fonte seja citada. Possíveis alterações para veiculação devem ser consultadas, previamente, pelo e-mail imprensa@cni.org.br. As opiniões aqui veiculadas são de responsabilidade do autor. 

Relacionadas

Leia mais

Incorporar critérios de compras sustentáveis traz oportunidades para empresas
CNI divulga na próxima semana o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor e os Indicadores Industriais
SENAI promove competição de mulheres em sistema de energia solar

Comentários