CNI solicita a volta do funcionamento do sistema Siscori da Receita Federal

O sistema Siscori é uma peça-chave para obtenção de informações mais detalhadas sobre as importações brasileiras, tais como preços de operação, unidades de desembaraço, dentre outras

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) recebeu com preocupação a publicação nesta sexta-feira (17/12), pela Receita Federal do Brasil, da Portaria nº 100, de 2021, que desativa seu sistema de dados estatísticos sobre operações aduaneiras, chamado Siscori.

O sistema Siscori é uma peça-chave para obtenção de informações mais detalhadas sobre as importações brasileiras, tais como preços de operação, unidades de desembaraço, dentre outras. 

É fundamental para o combate de importações de produtos que não cumprem requisitos regulatórios importantes para a proteção da saúde pública e do meio ambiente, de produtos subfaturados ou de produtos que se valem de fraudes diversas, tais como falsa declaração de origem ou de classificação fiscal.

Trata-se de um importante aliado do setor privado brasileiro para o monitoramento e identificação de operações irregulares. Portanto, a retirada do ar acarretará grandes riscos e dificuldades no combate às importações ilegais e fraudulentas.

As informações disponibilizadas pelo Siscori são únicas, diferentes das disponibilizadas pelo Comex Stat. Esses dois sistemas não duplicam esforços, mas se complementam.

A CNI solicita que a decisão seja reavaliada e que o sistema volte a ser disponibilizado a todos.

Relacionadas

Leia mais

CNI defende respeito à decisão sobre Refis do Senado Federal
Novo marco legal desburocratiza mercado de câmbio e simplifica operações de comercio exterior
Redução no imposto de importação para bens de capital e eletroeletrônicos atinge 15% das importações brasileiras

Comentários