Empresas devem transformar gestão de segurança e saúde no trabalho para atender eSocial

Em evento com gestores empresariais, especialistas do SESI destacam importância de mudar processos e adotar plataforma de segurança e saúde que converse com sistemas de gestão de pessoas
Emmanuel Lacerda: o SESI apoia empresas na gestão do eSocial e na gestão estratégica de segurança e saúde no trabalho

A gestão fragmentada de dados trabalhistas, previdenciários e fiscais de empresas está com os dias contados. Com a obrigatoriedade de envio ao eSocial  de informações de segurança e saúde no trabalho a partir de julho deste ano, os dados das áreas de recursos humanos, segurança e saúde no trabalho e fiscais precisam conversar uns com os outros para não haver inconsistências que podem gerar multas e autuações.

Para debater como fazer essa integração de dados, o Serviço Social da Indústria (SESI) realizou nesta quarta-feira (20), em São Paulo, o encontro eSocial: Integrações entre o SESI Viva+ e sistemas de folha para gestores industriais. “Mesmo que o desenho dos sistemas de gestão estejam alinhados ao eSocial, é preciso atenção à correlação das informações enviadas entre as diversas áreas responsáveis pelo envio de dados ao governo”, disse o especialista do SESI, Cláudio Patrus.

Para apoiar as empresas nessa mudança de cenário, foi criada a plataforma SESI Viva+, de inteligência em segurança e saúde no trabalho. Segundo o gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI, Emmanuel Lacerda, além de compatibilizar os dados para envio do eSocial, o sistema permite que empresas tenham informações organizadas em um único ambiente para facilitar a tomada de decisão.“O SESI, que já ajudava empresas no atendimento às questões legais, passa a apoiar na gestão do eSocial e na gestão estratégica de segurança e saúde no trabalho”, afirmou.

Plataforma de inteligência do SESI possui ISO 27001, certificação que comprova que sistema atende a todos os requisitos de segurança de informação

Envio de informações – Para garantir a segurança na coerência dos dados enviados ao governo, o SESI Viva+ conta com um sistema eletrônico que trava o envio de informações inconsistentes e alerta os gestores sobre o que precisa ser corrigido. “Esse é o grande diferencial da plataforma em relação a outras”, comentou Patrus.

“Na verdade, as empresas passam a contar com a expertise de 72 anos de experiência do SESI em gestão de segurança e saúde no trabalho, que oferece muito além de uma plataforma de gestão de dados, mas de inteligência em segurança e saúde no trabalho que cruza informações e faz as intervenções necessárias”, explicou.

Entre outras inovações trazidas pelo SESI Viva+, está o aplicativo que pode ser usado por gestores e trabalhadores. Enquanto gestores veem informações gerais sobre questões de SST, os trabalhadores conseguem monitorar seus próprios indicadores de saúde. “A plataforma tem ISO 27001, certificação que comprova o atendimento a todos os requisitos de segurança de informação dos usuários”, ressaltou Patrus.

Marcos Taquetto, gerente de Contas da Age Technology, que ajudou no desenvolvimento do SESI Viva+, ressaltou que a plataforma possui capacidade de atualização ágil caso sejam modificadas ou exigidas novas informações para o eSocial. “Hoje temos 36 normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho. Já são muitas informações e esse processo tende a ser mais rígido”, disse. “Estamos saindo de uma plataforma de fiscalização física, que abrange de 3 a 4% do mercado, para uma fiscalização 100% online.”

Taquetto garantiu que a plataforma interage tanto com o ambiente online do governo quanto com outras tecnologias usadas na gestão de recursos humanos para integrar dados e informações.

Relacionadas

Leia mais

SESI Viva+ apoiará empresas a atender o eSocial, destaca gerente de Segurança e Saúde no Trabalho
7 motivos para sua empresa ter o SESI Viva+
SESI Viva+ apoia empresas na gestão estratégica de segurança e saúde no trabalho

Comentários