Com apoio do SESI, empresa reduz custos com acidentes do trabalho

Em seis anos, a Bebibas Fruki economizou R$ 670 mil devido à redução de 56% do índice do Fator Acidentário de Prevenção (FAP). Empresas têm até 30 de novembro para apresentar contestações ao relatório do FAP que estabelecerá alíquota de contribuição para 2018
Com apoio do SESI, a empresa gaúcha Bebidas Fruki conseguiu reduzir acidentes e aumentar a produtividade

Com a integração da área de segurança e saúde no trabalho (SST) a todos os demais setores da empresa, a gaúcha Bebidas Fruki, de 900 funcionários, conseguiu reduzir acidentes e aumentar a produtividade dos trabalhadores. O ganho mais perceptível se refletiu nos custos com a contribuição obrigatória sobre o grau de incidência de incapacidade laborativa que, em seis anos, diminuíram R$ 670 mil.

Isso ocorreu devido à redução de 56% do índice do Fator Acidentário de Prevenção (FAP), que integra cálculo de contribuição de incidência de afastamentos acidentários sobre a folha de pagamento das empresas. “Nesse valor não estão contabilizados outros custos diretos e indiretos dos acidentes”, destaca o coordenador de Saúde e Segurança no Trabalho da Fruki, Paulo Sérgio Labres.

A Fruki começou a usar o FAP na tomada de decisões de investimentos em segurança e saúde no trabalho em 2011 e a informação foi ainda mais disseminada a todos os gestores da empresa a partir de 2015, depois de um evento de sensibilização organizado pelo Serviço Social da Indústria (SESI). Com o apoio do SESI, a Fruki verificou a necessidade de aumentar a carga horária de treinamentos específicos como direção defensiva para a equipe de vendas, testes práticos na seleção de profissionais que conduzem motocicleta, inspeções diárias de segurança nas instalações e em deslocamento no trânsito, entre outras ações.

Labres comenta que a empresa elaborou indicadores de desempenho e metas claras em segurança para todas as áreas e passou a conhecer melhor riscos, áreas críticas e processos que necessitam de mais atenção. “Devemos ir além de cumprimento de requisitos legais. Inovar em processos de segurança no trabalho é fundamental e importante”, declara.

GESTÃO DO ABSENTEÍSMO – O Programa de Gestão do Absenteísmo do SESI possibilita uma  correta análise do FAP e permite às empresas reduzirem custos significativos com afastamentos desde a verificação de equívocos que podem vir no relatório de cálculo da contribuição até ações para prevenir acidentes e doenças profissionais, além da gestão de retorno ao trabalho. “As empresas desconhecem a dimensão dos custos com afastamentos previdenciários de trabalhadores e que é extremamente vantajoso investir na prevenção de acidentes e incapacidade nos ambientes de trabalho”, destaca o médico do trabalho do SESI Gustavo Nicolai.

Entre os serviços oferecidos pelo programa estão consultoria para melhorar as condições de segurança no ambiente de trabalho e a saúde do trabalhador, além de análise técnica para reduzir custos com o FAP. As empresas já receberam relatório que calcula a contribuição de incidência de afastamentos acidentários para 2018 e têm até 30 de novembro para apresentar contestação.

Relacionadas

Leia mais

Alunos do SESI criam solução para reduzir consumo de água e são destaque no Jornal Nacional
Campanha do SESI e do SENAI mostra grandes ações das instituições e incentiva envio de depoimentos

Comentários