Dá pra reciclar bateria de carro elétrico? Ah, dá!

Instituto SENAI de Inovação do Paraná fecha parceria com a Tupy e a BMW Brasil para reaproveitar baterias usadas

mulher cientista trabalhando em laboratório de tecnologia e inovação
Laboratório do ISI-EQ, em Curitiba, Paraná, onde o projeto será desenvolvido

Os carros elétricos já são uma realidade no mundo e uma opção mais sustentável de abastecimento. Sempre atuando de forma inovadora, o Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica (ISI-EQ), do Paraná, fechou uma parceria com a Tupy e a BMW Group Brasil para criar um processo que garanta a recuperação de compostos químicos das baterias dos veículos, tornando-o ainda mais sustentável.

O objetivo do projeto é desenvolver a reciclagem de baterias por hidrometalurgia, processo mais sustentável que a pirometalurgia, mais utilizada atualmente. A tecnologia envolve menos emissões de gases de efeito estufa e menor necessidade de extração de minerais pelos meios tradicionais de mineração. 

Com investimento de R$ 3,4 milhões, o projeto abre uma nova rota para uso de minerais reciclados na fabricação de baterias novas, o que diminuirá sensivelmente a dependência da matéria-prima mineral primária. A duração da pesquisa é de 24 meses, mas a intenção é que os primeiros resultados sejam avaliados ainda neste ano.

A expectativa é criar um processo de ressíntese do material ativo do cátodo de uma bateria de lítio, com material 100% reciclado. Serão obtidos parâmetros de eficiência de todo o processo, da pureza dos materiais reciclados, do índice econômico e do índice ambiental. 

“Para o setor automotivo, o desenvolvimento do projeto permitirá às empresas obterem uma tecnologia 100% nacional. A reciclagem e a ressíntese do material para ser reutilizado na fabricação de novas baterias para veículos elétricos é a grande inovação desse projeto e está alinhada com a visão da economia circular de veículos elétricos”, destaca Marcos Berton e Heverson Renan, pesquisadores do Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica.

Etapas do projeto

Cada parceiro trará conhecimentos específicos para os estudos dentro de sua área de atuação. A Tupy, dentro da frente da Tupy Tech, tem dedicado seu conhecimento em materiais e metalurgia ao desenvolvimento de tecnologias que contribuam com a jornada de descarbonização dos clientes. 

Já a BMW Group Brasil, pioneiro na eletromobilidade mundial, fornecerá seu conhecimento técnico e as baterias do veículo elétrico BMW i3 para o desenvolvimento do processo de reciclagem por hidrometalurgia. Alinhada com sua estratégia mundial de sustentabilidade e economia circular, a ressíntese dos materiais reciclados, para produção de novas células de baterias a partir do material reciclado, também é uma das entregas mapeadas junto ao ISI-EQ.

Sobre o Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica

O Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica foi o primeiro instituto a ser inaugurado no Brasil. Possui infraestrutura laboratorial de nível internacional e de recursos humanos altamente capacitados. Desenvolve projetos de pesquisa aplicada à indústria, desenvolvendo produtos e processos inovadores, resultando em maior competitividade e sustentabilidade para diversos segmentos industriais. 

Relacionadas

Leia mais

Paratodos: avó e neto estudam na mesma sala em Nova EJA do SESI-PA
Se depender do SENAI você não fica sem cerveja
Programa de Imersões da CNI com inscrições abertas!

Comentários