UFG, SENAI e parceiros entregam respiradores mecânicos em Goiás

Cerca de 40 técnicos voluntários do SENAI, da UFG e do IFG trabalham no conserto dos aparelhos que estavam fora de uso. Além dos respiradores, também foram entregues 2 mil protetores faciais
A estimativa é de que cada aparelho recuperado poderá atender até dez pessoas afetadas pelo novo coronavírus

Integrante de uma rede voluntária nacional mobilizada para manutenção de respiradores mecânicos – equipamento essencial no tratamento de pacientes graves da Covid-19 –, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Goiás, juntamente com a Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação da Universidade Federal de Goiás (EMC/UFG) e o Instituto Federal de Goiás (IFG), entregou nesta segunda-feira (11) à Secretaria Estadual de Saúde (SES) dez respiradores consertados por técnicos das instituições. A estimativa é de que cada aparelho recuperado poderá atender até dez pessoas afetadas pelo novo coronavírus.

A participação do corpo técnico do SENAI na rede nacional e regional faz parte da mobilização determinada pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG) e do Conselho Regional da instituição em Goiás, Sandro Mabel, que envolve diversas ações em meio à pandemia, a exemplo de doações a famílias necessitadas por meio do projeto FIEG Mais Solidária, confecção de máscaras e protetores faciais, entre outras.

A iniciativa de recuperação de respiradores mecânicos envolve também a Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin) e o Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT/GO), que destinou mais de R$ 64 mil para contratação de técnicos na área de eletroeletrônica, aquisição de peças e de equipamentos de proteção individual (EPIs), além de material de higienização para os docentes responsáveis pela manutenção e calibração dos ventiladores pulmonares.

Cerca de 40 técnicos voluntários das instituições do SENAI, da EMC/UFG e do IFG trabalham no conserto de 102 aparelhos que estavam em desuso, com diferentes níveis de danos. Além dos respiradores, também foram entregues nesta segunda-feira 2 mil protetores faciais produzidos pela Escola SENAI Vila Canaã, de Goiânia, em parceria com a UFG e a Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (Abinfer). Ao todo, serão confeccionadas 10 mil máscaras.

Professor titular da EMC/UFG, Rodrigo Pinto Lemos conta que buscou parceria com o SENAI ao saber que a instituição da FIEG integra rede nacional de manutenção de respiradores. “Para nós era algo novo ainda, mas o Senai já integrava uma rede estruturada e com diretrizes bem definidas. Unimos esforços, competências e infraestrutura para agilizar o trabalho e entregar esses aparelhos prontos para ajudar a salvar vidas nesse momento tão difícil”, disse.

Para o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino Júnior, a união de vários parceiros foi fundamental para o sucesso da ação. “A recuperação dos aparelhos vai aumentar as possibilidades de tratamento dos pacientes graves, podemos equipar uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), além de gerar economia para o estado, uma vez que cada respirador custa em média R$ 100 mil e está em falta no mercado”, ressaltou.

Presente à entrega dos respiradores, o vice-presidente da FIEG André Rocha destacou o compromisso social do Sistema Indústria em ações de combate à pandemia. “A instituição coloca todo seu corpo técnico em várias frentes de atuação para atender à sociedade da melhor maneira possível, unindo esforços para ajudar a superar os desafios. O que mais importa nessa iniciativa é que cada respirador recuperado pode salvar dez vidas e vamos trabalhar para consertar o máximo de aparelhos possíveis.”

O vice-presidente da Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEclin), Ricardo Maranhão, explica que a entidade é parceira do projeto Iniciativa + Manutenção de Respiradores para ajudar ao máximo na recuperação dos equipamentos em todo o País. “Ao ser recebido, o aparelho passa pela identificação das falhas e é encaminhado para o conserto. Após a recuperação, cada equipamento passa pela calibração, conforme exigência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, por fim, recebe um laudo técnico assinado por engenheiros clínicos voluntários garantindo o funcionamento e a permissão de uso”.

Rede de manutenção

A rede voluntária para manutenção dos respiradores passou a operar no dia 30 de março e busca ampliar o número disponível desses aparelhos. Em Goiás, a Escola SENAI Vila Canaã, de Goiânia, é um dos 45 pontos de unidades operacionais que estão recebendo esses ventiladores pulmonares para manutenção.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

SENAI de Pernambuco entrega 12 respiradores para a rede de saúde
SENAI investe R$ 67 milhões em ações  para o combate à covid-19
SENAI de Alagoas doa 600 litros de álcool para o governo e instituições de caridade

Comentários