SENAI e TCE fecham parceria para manutenção de respiradores

O termo, firmado pela FIEMT e o TCE do Mato Grosso, prevê suporte financeiro à iniciativa no valor de R$ 500 mil, por parte do tribunal
Representantes da FIEMT, do SENAI/MT e do TCE/MT assinaram o termo de compromisso

O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) vai disponibilizar meio milhão de reais ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do estado para aquisição de insumos necessários à manutenção dos respiradores destinados ao uso de pacientes afetados pela covid-19 no estado. O compromisso foi feito por meio de um termo de fomento emergencial e simplificado.

O termo, firmado pelos presidentes da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (FIEMT), Gustavo de Oliveira, e do TCE-MT, Guilherme Maluf, além da diretora regional do SENAI Lélia Brun, prevê suporte financeiro à iniciativa no valor de R$ 500 mil, por parte do tribunal.

O TCE, via Portaria nº 46/2020, já havia criado o grupo de trabalho para apoiar ações de combate à covid-19 e identificou a existência de 87 respiradores mecânicos indisponíveis na rede pública hospitalar de Cuiabá e Várzea Grande, por meio de um questionário de pesquisa institucional.

Por outro lado, o SENAI está à frente de uma força tarefa nacional voltada a prover serviços de manutenção e reestabelecimento de respiradores mecânicos instalados.

A iniciativa Manutenção de Respiradores reúne centenas de engenheiros e técnicos em todo o país – sendo que, em Mato Grosso, a manutenção ficou concentrada nas unidades de Várzea Grande e Rondonópolis.

A importância da parceria para o Mato Grosso

Após avaliar o cenário, o tribunal decidiu conceder o apoio, voltado à recuperação dos 87 respiradores identificados pela pesquisa. A execução dos trabalhos referentes ao termo ficará por conta da unidade SENAI em Várzea Grande, que deverá empregar os recursos exclusivamente na manutenção e reparo dos equipamentos – e prestar contas da aplicação ao tribunal.

O presidente do TCE, Guilherme Maluf, afirmou que a iniciativa é muito importante pelo momento que estamos vivendo, pois sequer existem fornecedores. "É uma grande contribuição para o combate ao coronavírus e deve servir de inspiração para outras instituições", comentou Maluf.

SENAI MT faz parte de uma força tarefa nacional que oferece manutenção de respiradores mecânicos

Já o presidente da FIEMT, Gustavo de Oliveira, lembra que a manutenção dos respiradores teria um custo médio de R$ 15 mil aos cofres públicos, se realizada em estabelecimentos privados convencionais.

Com a mão de obra e suporte técnico do SENAI somados a recursos financeiros de instituições como o TCE, o Estado pode economizar mais de R$ 1 milhão na manutenção de 100 respiradores.

"A economia é muito maior quando o valor da manutenção é comparado ao custo de um equipamento novo, que pode passar dos R$ 100 mil", informa o presidente.

A estimativa é que sejam necessários 300 desses equipamentos em bom funcionamento para garantir o atendimento. Nos primeiros dias de ação, quase 30 respiradores já foram encaminhados aos serviços do SENAI.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

Simplast recolhe material para SENAI e hospital de campanha
SENAI vai confeccionar 1 milhão de máscaras em Mato Grosso
VÍDEO: A indústria contra o coronavírus - case SENAI e Ministério da Defesa

Comentários