Federações das indústrias reforçam doações de máscaras e refeições

A força-tarefa para a produção de máscaras no DF, realizada pela FIBRA, foi estendida. Em São Paulo, o SESI ampliou a oferta de refeições gratuitas para comunidades carentes
SENAI produziu 1.000 máscaras para atender as forças policiais de Araguari (MG)

Desde o início da pandemia, a indústria se reorganizou para auxiliar no combate ao coronavírus. As federações das indústrias, por meio do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de cada estado, estão produzindo máscaras, protetores faciais, envasando e distribuindo álcool, arrecadando alimentos, realizando testes e muito mais.

Com o auxílio das instituições, realizamos um levantamento semanal sobre essas iniciativas. Alguns destaques da última semana são a manutenção de respiradores mecânicos e a doação de refeições para comunidades carentes. Confira as iniciativas de cada estado entre 26 de junho e 2 de julho:

Depois de desenvolver um protótipo de respirador eletropneumático, como alternativa aos modelos utilizados nos hospitais com necessidade de expandir esse atendimento, o SENAI do Amazonas participa da rede voluntária Iniciativa + Manutenção de Respiradores, que recebe agora suas primeiras demandas no estado.

Liderado pelo SENAI nacional, esse laboratório, com pontos de manutenção gratuita de respiradores em 19 estados, conta, no Amazonas, com parceria das empresas Geradora de Energia do Amazonas S/A (Gera Amazonas), Companhia Energética Manauara (CEM), Iontec – Serviços de Engenharia Clínica e Manutenção de Equipamentos Médico-Hospitalares e 3M Manaus Indústria de Produtos Químicos Ltda.

Foi para suprir as necessidades desse laboratório, que o SENAI passou a desenvolver no Amazonas equipamento para corte e produção de membranas para uso nas válvulas dos respiradores pulmonares, o que vai reduzir o tempo no processo de manutenção desses aparelhos. Leia mais no site da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM).

O SESI da Bahia imunizou 50 mil trabalhadores de 300 empresas industriais contra as gripes sazonal e H1N1, entre março e junho deste ano. A campanha de vacinação é oferecida anualmente pela instituição às indústrias, como medida preventiva, mas este ano, ganhou maior relevância para evitar que os sintomas gripais fossem confundidos com os da Covid-19. Com isso, houve um incremento de 66% no número de trabalhadores e dependentes vacinados em relação a 2019, quando foram imunizadas 30 mil pessoas.

A vacinação faz parte das ações do SESI da Bahia voltadas para a promoção da saúde no ambiente de trabalho e que foram reforçadas em 2020 no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Além da vacinação, o SESI também está oferecendo às empresas a aplicação do teste rápido IgM/IgG e o exame RT-PCR para Covid-19. Outras informações no site da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB).

A força-tarefa para a produção de máscaras de tecido realizada pela Federação das Indústrias do Distrito Federal (FIBRA), pelo Banco de Brasília (BRB) e o pelo governo do Distrito Federal terá uma terceira fase. Foi assinado, no dia 30 de junho, um termo aditivo ao convênio que prevê a produção de mais um milhão de máscaras que serão distribuídas na rede pública de ensino, quando forem retomadas as aulas presenciais.

O Banco de Brasília, por meio do Instituto BRB de Responsabilidade Social e Ambiental, fará a doação de R$ 2,2 milhões para o projeto e administrará a entrega das máscaras em parceria com o comitê gestor do Programa Todos Contra a Covid do governo.

Além disso, a Universidade de Brasília (UnB) assinou um convênio com a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), para a criação de um fundo que vai arrecadar doações para projetos de pesquisa, inovação e extensão com foco no combate a Covid-19.

Um desses projetos é o de manutenção de respiradores para ventilação invasiva, que é realizado pelo SENAI do Distrito Federal, na unidade de Taguatinga.

O custo de manutenção de cada respirador está na ordem de R$ 18.750, valor mais baixo do que o preço médio de um equipamento novo, que está por volta de R$ 70 mil. Hoje o SENAI tem parceiros que apoiam o projeto, mas a entrada de novos recursos permitirá que mais aparelhos sejam consertados. Por isso, a campanha de arrecadação foi lançada e pode ter adesão de toda sociedade civil. Essas e outras informações estão disponíveis no site da FIBRA.

Como parte das ações de combate à pandemia do novo coronavírus, a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (FIEMS) doou 40 mil máscaras de tecido para a Prefeitura de Dourados distribuir entre a população, ajudando na redução da proliferação do vírus na cidade.

Além disso, por meio do SENAI/MS, a federação entregou oito respiradores à Secretaria Estadual de Saúde. Os equipamentos passaram por manutenção em uma estrutura instalada temporariamente no SENAI Empresa, em Campo Grande, e que foi adaptada especialmente para o reparo dos equipamentos. Outros sete respiradores ainda estão em fase de calibração para serem devolvidos aos hospitais.

Desde o início da pandemia, o SENAI já recebeu 120 equipamentos para conserto e, desses, 94 já foram recuperados, 12 ainda estão em manutenção e dez foram descartados. Mais no site da FIEMS.

A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), no Vale do Paranaíba, atende 14 cidades do triângulo mineiro, entre elas está Araguari, um município que vem se destacando no região em especial no que diz respeito a atração de indústrias. Com isso, a cidade também tem recebido máscaras e álcool 70% produzidos pelo SENAI de Belo Horizonte e que estão sendo distribuídos por todo o estado.

No dia 25 de junho, Araguari recebeu mais 1.000 máscaras que atenderão a Polícia Militar e a Polícia Civil; serão 500 unidades para cada instituição. 

Outra iniciativa da federação, por meio do SESI, foi disponibilizar testes rápidos para identificação de Covid-19 para toda população mineira. O teste é do tipo IgG/IgM e custará, no máximo, R$ 100,00. 

A instituição atua para que a testagem seja uma forma segura de evitar o contágio direto entre aqueles que estiverem infectados pelo novo coronavírus e os demais cidadãos. O intuito é reduzir a sobrecarga no sistema de saúde e fazer com que a retomada das atividades econômicas se dê de forma segura e mais consistente. Saiba mais no site da FIEMG.

O Instituto SENAI de Tecnologia em Madeira e Mobiliário, sediado em Bento Gonçalves (RS), implantou na sua linha de produção de máscaras, produzidas e doadas ao Hospital Tacchini da cidade, o sistema Lean Manufacturing. A ferramenta usada foi o Fluxo Contínuo que busca reduzir etapas, esforços, tempos e custos desnecessários. Permite diminuir esperas e estoques, eliminar filas e trabalhar de acordo com o ritmo da demanda.

Outra ação do Instituto, com a Prefeitura Municipal através da Coordenadoria da Mulher e Secretaria de Esportes e Desenvolvimento Social (Sedes), confeccionou máscaras de algodão e TNT para serem distribuídas na comunidade. O SENAI/RS disponibilizou sua estrutura de laboratório de costura e também o acompanhamento técnico para o trabalho com voluntários da Sedes.

Foram produzidas mais de 1,2 mil máscaras, que serão distribuídas nos cinco Centros de Convivência do Munícipio, para atendimento de alunos de 6 a 16 anos do contraturno escolar, e outras 3 mil que estão chegando na população de vulnerabilidade social. Outras 11 mil máscaras serão distribuídas nas redes municipais e estaduais de ensino. Para mais informações, acesse o site da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS).

A iniciativa de produzir refeições gratuitas para comunidades carentes em todo o estado, lançada em maio pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) será estendida para julho. Serão distribuídas 51 mil refeições por dia, de segunda a sexta, fechando o mês em 1,173 milhão de refeições.

Somados os três meses do programa terão sido doados 7,6 milhões de marmitas, produzidas nas cozinhas das escolas do SESI, envolvendo mais de mil profissionais. Essa é mais uma das contribuições das entidades da indústria paulista para apoiar a sociedade nesta pandemia do novo coronavírus.

Além disso, a federação também está arrecadando e repassando cobertores, por meio da tradicional campanha do agasalho do SESI e do SENAI de São Paulo. A campanha segue até o final do inverno.

O SENAI/SP está produzindo e distribuindo para comunidades carentes mais de 1 milhão de frascos de álcool em gel. A instituição também utilizou sua capacidade técnica de produção em escala industrial para confeccionar 1 milhão de máscaras cirúrgicas. Esses insumos foram doados para hospitais e Santas Casas do Estado de São Paulo.

Outra ação de combate à Covid-19 do SENAI do estado é o conserto de respiradores, um dos itens mais requisitados nas UTIs. Cerca de 130 respiradores receberam manutenção no último mês e foram realocados em 47 hospitais, e outros 70 estão sendo reparados. Outras informações no site da FIESP.

A Indústria contra o coronavírus: vamos juntos superar essa crise

Acompanhe todas as notícias sobre as ações da indústria no combate ao coronavírus na página especial da Agência CNI de Notícias.

Relacionadas

Leia mais

FIRJAN fecha parceria com organização canadense de petróleo e gás
Inovação e parcerias são a chave para as nações se reinventarem no pós-pandemia
Deu Certo! A solução brasileira para produzir álcool em gel

Comentários